Siga-nos nas redes sociais

Policia

“Vocês mataram minha irmã!”, disse irmão de vítima a policial em Milagres

Mãe de mulher morta durante tentativa de assalto a banco, que também foi mantida refém, descreveu detalhes da ação e afirmou que tiro partiu da polícia

Publicados

em

A mãe de Francisca Edneide da Cruz Santos, 49, uma das 14 vítimas mortas tentativa de assalto a banco no município de Milagres, no Ceará, descreveu detalhes do tempo em que foi mantida refém pelos suspeitos, junto à filha. Em entrevista ao Sistema Verdes Mares, a agricultora Maria Larilda Rodrigues relatou que o filho dela e um dos bandidos afirmaram que o tiro que vitimou Edneide partiu da polícia.

O filho da agricultora, irmão da vítima também feito refém na ação, afirmou a um dos policiais: “Vocês mataram minha irmã!”. Nesse momento, segundo a testemunha, o agente de segurança levou as mãos à cabeça, adotando expressão de desespero.

Edneide morava em São Paulo e aproveitou uma licença do trabalho para vir ao Ceará e passar dois meses com os pais.

Edneide da Cruz Santos, 49, foi uma das 14 vítimas mortas na tentativa de assalto a banco no município de Milagres

O tempo entre o desembarque e a morte, porém, foi curto demais. “Fomos buscar ela no aeroporto, e no caminho de volta, perto de Brejo Santo, a gente viu um caminhão atravessado na estrada, com um carro de cada lado da pista, e um movimento daqueles moços mascarados. Aí pensei ‘Senhor, tá tendo um assalto, tem misericórdia!’”, relembra Maria Larilda.

Segundo ela, os suspeitos pararam o carro, renderam e separam os quatro membros da família em dois veículos diferentes. A agricultora seguiu com a filha e dois bandidos em uma Hilux, enquanto o marido e o filho ficaram no automóvel pertencente ao grupo de assaltantes. Ambos os carros foram em direção ao Banco do Brasil de Milagres. De acordo com Larilda, o suspeitos tentavam tranquilizar a família, dizendo que “não queriam celular, dinheiro nem carro, nem maltratar”, apenas as levariam “numa missão”.

“Quando tava perto do banco, já vi meu menino e meu esposo, já passando mal. Os bandidos voltaram com a gente, já perto da pista, e começou o tiroteio. Senti arder, tinha farelo de pólvora, mas não vi que tinha pegado tiro na minha filha. Aí o bandido que tava do lado dela disse: ‘(A polícia) Quebrou minhas pernas e matou a mulher!’. Olhei pra ela e vi o sangue descendo, o cabelo no rosto. Ainda botei a mão no buraco saindo sangue, tirei e despejou como uma garrafa d’água derramando”, relata a mulher.

Segundo a mãe de Edneide, os suspeitos correram para um matagal, e o bandido que fez a filha de escudo, que teve as pernas quebradas, pediu ajuda aos demais, que não voltaram para buscá-lo. “Fiquei com a minha filha dentro do carro já morrendo, com o sangue fervendo na goela, e eu pedindo socorro, gritando, mas não apareceu ninguém. Quando meu menino se deitou no chão que a polícia começou a chegar nele, ele disse ‘Vocês mataram minha irmã!’, e o policial fez assim”, declara, replicando o gesto do agente de segurança.

“É muito difícil. Isso que você tá vendo em mim é a força de Deus, porque você ver uma filha sua morrer em seus braços lavada de sangue e passar até 3 horas na beira de uma pista pedindo socorro e não aparecer ninguém…”, finaliza a agricultora. O sepultamento de Francisca Edneide será realizado em Brejo Santo, quando a família dela chegar de São Paulo. A mulher deixou esposo, dois filhos e uma neta.

Edneide é velada no Interior do Ceará Foto: Isaac Mâcedo

O que seria uma ação de destaque da Polícia cearense se transformou no episódio já conhecido como ‘Tragédia em Milagres’. Dentre inocentes e assaltantes, morreram, na madrugada de sexta-feira (7), nesse Município do Interior do Ceará, pelo menos, 14 pessoas.

As versões da ação fatal, ocorrida com a participação direta de militares cearenses, são imprecisas. Para populares, as mortes dos reféns ocorreram devido ao despreparo da Polícia. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) não deu detalhes da ação, que segue com muitas perguntas sem respostas.

A tragédia teve início por volta das 2h30, quando uma quadrilha armada e com reféns, prestes a atacar duas agências bancárias de Milagres, cidade da Região do Cariri, foi surpreendida. Moradores do local contam que uma sequência de tiros, com duração de 20 minutos, anunciou que algo grave estava acontecendo.

De acordo com a SSPDS, era previsto que um bando atacasse bancos naquela região. Com as informações, equipes do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), do Comando Tático Rural (Cotar), da Força Tática (FT), do Batalhão de Divisas – da PMCE – e da Delegacia de Brejo Santo da Polícia Militar se deslocaram ao local na tentativa de prevenir o crime.

No entanto, a reportagem apurou que operação foi organizada pela Coordenadoria de Inteligência (Coin), da Secretaria da Segurança, que acionou equipes do Gate e do Cotar, inclusive com a presença de um ‘sniper’ – atirador de elite da PM –, que teria sido responsável por muitos dos disparos realizados contra as pessoas que terminaram mortas.

Nenhuma das agências foi violada, mas o “preço” para evitar os ataques a elas foi alto. Para que os roubos não se consumassem, 14 morreram.

Ainda sem informações oficiais que comprovem de onde partiram os disparos contra cada um dos mortos, se sabe que dentre as vítimas há crianças e adolescentes. Dos 14 mortos confirmados pela Pasta, oito seriam integrantes da quadrilha e os demais pessoas que estavam ali pelo “acaso”. Informações obtidas na região dão conta de que seis vítimas da ação fatal eram reféns, de duas famílias distintas.

Matéria do DN

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policia

Sargento da PM é preso após balear homem na rodoviária de Camocim, interior do CE

Ainda não há informações precisas sobre o que teria motivado o fato

Publicados

em

Na noite desta quinta-feira (21), um Sargento da Polícia Militar, conhecido como Iranildo, disparou vários tiros em plena Praça da Rodoviária de Camocim.

Um dos tiros acabou acertando o joelho do Fotógrafo Wanderson Lima. Após atirar contra Wanderson, o militar, que estaria alcoolizado, fugiu do local. Antes disso, alguns populares, temendo que ele seguisse disparando contra outras pessoas, conseguiram tomar sua arma.

Policiais Militares prenderam o Sargento alguns momentos depois do crime. O Major Eduardo de Sousa, Comandante da 3ªCIA/3ºBPM, participou pessoalmente da ocorrência.

Wanderson Lima foi levado ao Hospital Deputado Murilo Aguiar, onde recebeu os primeiros socorros. Mesmo fora de perigo, ela será transferido para a Santa Casa de Sobral.

O Sargento também está no mesmo hospital. Ele recebeu uma pancada na cabeça por parte de frequentadores do local, que temiam serem baleadas também.

Matéria do Camocim Online

Continue lendo

Policia

Homem mata amigo com um com tiro na cabeça durante brincadeira, no interior do Ceará

A arma de fogo utilizada, um revolver calibre 32, foi apreendido e o jovem que efetuou o disparo se encontra foragido

Publicados

em

Na noite da última quinta-feira, 21, por volta das 22h, na cidade de Acopiara, ocorreu um homicídio, no bairro Vila Esperança, próximo à capela. A vítima foi identificada como: Francisco Lucas Teodoro de Brito, que morreu no local, após ser atingido por disparo de revólver, calibre 32.

Policiais militares encontraram no local a arma do crime, com capacidade para seis tiros com quatro munições intactas e uma deflagrada.
Segundo uma testemunha, o autor do disparo foi: Antônio Átila de Oliveira Pereira, que pegou a arma que pertencia a Brito, tirou quatro munições e apontou a arma para a vítima, que no momento estava de costas e falou “roleta russa” e efetuou o disparo, que atingiu a vítima na cabeça.

O rabecão do IML de Iguatu compareceu ao local para adoção das medidas cabíveis

Matéria do Acopiara News

Continue lendo

Policia

Polícia desmonta pontos de venda do ‘jogo do bicho’ em Caucaia

Operação cumpriu 22 mandados e levou 20 suspeitos para prestar depoimento

Publicados

em

Uma operação realizada pela Polícia Civil do Ceará cumpriu 22 mandados de busca e apreensão e desmontou locais onde eram vendidos jogos do bicho na Avenida do Almeida Lustosa, no Bairro Jurema, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. Os mandados foram realizados na última quarta (20), mas a divulgação ocorreu apenas nesta sexta-feira (22). 20 suspeitos foram encaminhados à delegacia para prestar depoimento.

Segundo o delegado adjunto da Delegacia Metropolitana de Caucaia, José Lopes, as investigações foram uma continuação de uma outra operação que ocorreu no mesmo bairro em 2018, com o mesmo objetivo.”Tivemos conhecimento que outras casas estavam funcionando na ilegalidade. Aí começamos a operação de forma sigilosa.”, afirmou.

Os mandados foram cumpridos em bancas, lojas e em outros espaços que funcionavam como casas lotéricas clandestinas. Em cada um dos locais, segundo a polícia, havia dois ou três suspeitos, que foram encaminhados à delegacia.

Com eles foram encontrados dinheiro, em real, euro e dólar, além de talões de jogos, celulares, computadores e máquinas de cartão.

Todos os envolvidos prestaram depoimentos e, em seguida, foram liberados. Todos realizaram Termos Circunstanciado de Ocorrência, com base na Lei das Contravenções Penais.

Matéria do DN

Continue lendo
Publicidade