Siga-nos nas redes sociais

Mundo

Traficante brasileiro matar jovem de 18 anos em cela de presídio no Paraguai para evitar extradição

Segundo o boletim de ocorrência registrado pela polícia paraguaia, um guarda ouviu os gritos da mulher dentro da cela de Marcelo Piloto. Ele matou a jovem com uma faca de mesa

Publicados

em

O narcotraficante Marcelo Fernando Pinheiro da Veiga, conhecido como Marcelo Piloto, matou a facadas uma jovem de 18 anos dentro de sua cela no presídio em Assunção, no Paraguai, segundo o Ministério Público paraguaio. O boletim de ocorrência foi registrado pela polícia local neste sábado (17).

Foi “uma atitude extrema de Piloto para impedir sua extradição”, disse o promotor Hugo Volpe. A Justiça do Paraguai autorizou a extradição de Piloto em 30 de setembro.

Lidia Meza Burgos visitava Marcelo Piloto pela segunda vez, segundo a polícia. Por volta de 13h50, o guarda que fazia ronda no pavilhão da prisão ouviu gritos vindos da cela de Piloto, e ao verificar, encontrou a mulher caída no chão, ensanguentada. Ela foi encaminhada para atendimento médico, mas não resistiu.

De acordo com o promotor, Marcelo Piloto teria matado a jovem utilizando uma faca de mesa. O corpo de Lidia está sendo submetido a autópsia; informações preliminares dão conta de que teriam sido 16 golpes.

Marcelo Piloto matou Ligia Burgos usando uma faca de mesa, dentro de sua cela no presídio em Asunción, Paraguai. — Foto: Polícia Civil do Paraguai/Divulgação

Extradição

De acordo com a decisão que determinou a extradição de Marcelo Piloto, ele só poderia ser entregue às autoridades brasileiras depois da conclusão de dois processos abertos no país vizinho: um por homicídio e outro por produção de documentos falsos e violação da Lei de Armas – este último julgado nesta sexta-feira (16).

Na audiência, Piloto manifestou recusa à juiza e ao promotor do caso, segundo o MP paraguaio, na tentativa de prolongar a burocracia e adiar sua extradição.

Segundo Volpe, que está no caso, a apelação de Piloto para que não seja extraditado está em segunda instância e deve ser julgada em cerca de 15 dias, porém, se comprovada a culpa dele na morte da jovem, sua permanência no Paraguai ainda será analisada pela Justiça.

Nesta semana, a sócia do advogado de Marcelo Piloto, Laura Casuso, foi executada em Pedro Juan Caballero. Ela defendia outro narcotraficante brasileiro, Jarvis Pavão, e chegou a atuar em processos de Piloto, em parceria com Jorge Prieto, segundo o promotor do MP Paraguaio.

Ficha criminal

Marcelo Piloto possui extensa ficha criminal, que inclui crimes de homicídio, tráfico e associação para o tráfico, latrocínio e roubos. Ele estava escondido há anos no Paraguai, de onde enviava armas, drogas e munição para abastecer as favelas dominadas pela maior facção criminosa do Rio de Janeiro.

Segundo a polícia, Piloto chefiava o tráfico de drogas nas comunidades Mandela I, II e III, no conjunto de favelas de Manguinhos. Ele faz parte do grupo de dez traficantes acusados de participar do resgate de Diogo de Souza Feitoza, o DG, de 29 anos, da 25ª DP (Engenho Novo), dia 03 de julho de 2012. Ao todo, ele já tem mais de 25 anos de pena a cumprir.

Ele foi preso em dezembro de 2017 no Paraguai, como resultado de um trabalho integrado entre a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado Segurança do Rio de Janeiro, a representação da Polícia Federal no Paraguai, Agência Antidrogas e Policia Nacional Paraguaia, além da agência antidrogas americana (DEA).

Matéria do G1

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Homens estupram duas jovens, queimam elas com faca e tiram parte da pele das garotas

O trio de agressores sexuais abusou sadicamente de duas adolescentes

Publicados

em

Os acusados ainda teriam esfregado sal nas feridas das meninas e derramou suco de limão nelas durante o ataque, que teria ocorrido em janeiro. Antwan Alexander, 28 anos, Wesley Brechlin, 22, e Jarmon Turner, 21, estão sendo acusados de torturarem  as garotas de 16 anos.

Em um ponto Alexander ‘puxou a pele de suas pernas,’ deixando-as gritando de dor durante o ataque em uma casa abandonada em Wisconsin, nos Estados Unidos, disse a polícia.

Uma queixa criminal apresentada pelo o canal Fox6, diz que uma das meninas sofreu 11 queimaduras, a outra sofreu duas queimaduras muito profundas. Ambas foram deixadas desfiguradas pela terrível tortura que sofreram.

Depois de ser preso Brechlin supostamente “admitiu bater (as meninas) na cabeça”. Ele também disse ter dito à polícia que ele tinha ‘sexo consensual’ com uma delas. As informações são do site “metro”.

Todos os três homens foram presos por abuso infantil e mais e duas acusações de desordem como parte de um crime.

Alexander fez sua primeira aparição no tribunal na sexta-feira e está sendo mantido preso, antes de sua próxima aparição no tribunal em 26 de março.

Um mandado de prisão para Brechlin foi emitido sexta-feira. Mais detalhes sobre o status do caso contra Turner ainda não foram disponibilizados.

Continue lendo

Mundo

Alerta para os pais! Momo aparece em vídeos infantis e ensina crianças a se suicidarem

Personagem interrompe vídeos populares na internet com passo a passo para o suicídio; informação foi divulgada pela revista Crescer na sexta-feira (15)

Publicados

em

Imagens aleatórias da Momo estão aparecendo em vídeos infantis populares na internet. A personagem interrompe a exibição com mensagens assustadoras como o que uma criança deve fazer para se suicidar. A informação foi publicada na sexta-feira (15) na revista Crescer.

A personagem, criada a partir de uma escultura de um artista plástico japonês, tem olhos esbugalhados, pele pálida e sorriso sinistro e ficou conhecida depois que um vídeo chamado “Desafio Momo” viralizou na internet no ano passado.

Esse desafio envolvia roubo de informações pessoais, incitação ao suicídio e extorsão.

A reportagem da revista Crescer relata o caso de um vídeo popular na internet de uma criança brincando de slime que é interrompido, após poucos segundos do início da sua exibição, com imagens da Momo ensinando o passo a passo de como cortar os pulsos, literalmente, em inglês.

Os pais entrevistados na matéria afirmam ter recebido o vídeo por meio de um grupo do WhastApp. Ao conversarem com a filha de 8 anos sobre o assunto, descobriram que ela já havia assistido à cena cerca de três vezes e estava muito assustada, inclusive com medo de dormir sozinha.

Eles afirmaram à reportagem que haviam colocado filtro no YouTube, restringindo o acesso da filha ao conteúdo do YouTube Kids.

A Crescer publicou uma carta do YouTube, que se manifestou sobre o assunto:

“Muitos de vocês compartilharam suas preocupações conosco nos últimos dias sobre o Desafio Momo — prestamos muita atenção nisso.

Depois de muita análise, não vimos nenhuma evidência recente de vídeos promovendo o Desafio Momo no YouTube. Vídeos incentivando desafios prejudiciais e perigosos são claramente contra nossas políticas, incluindo o desafio Momo. Apesar dos relatos da imprensa sobre esse desafio, não tivemos links recentes sinalizados ou compartilhados conosco do YouTube que violem nossas Diretrizes da comunidade.

É importante notar que permitimos que os criadores discutam, denunciem ou instruam as pessoas sobre o desafio / personagem Momo no YouTube. Vimos capturas de tela de vídeos e / ou miniaturas com eles […] Essa imagem não é permitida na aplicação YouTube Kids e disponibilizamos garantias para a excluir do conteúdo no YouTube Kids.”

Matéria do R7

Continue lendo

Mundo

Pai degola cinco membros da família, se arrepende e se enforca

Dos parentes mortos, quatro eram menores de idade

Publicados

em

Um homem se suicidou na madrugada deste sábado na localidade boliviana de Yacuiba depois de degolar cinco membros de sua família, sendo quatro menores, informou a imprensa local.

“Foram encontrados seis corpos, quatro menores e uma mulher, que supostamente foram assassinados pelo pai, que pouco depois tomou a decisão de tirar a própria vida”, informou o comandante da polícia de Yacuiba, Ariel Torrez.

As autoridades não quiseram comentar o caso, mas a imprensa fala que o chefe de família estaria com problemas de ordem econômica.

Segundo o portal da rede Erbol, o pai degolou os filhos – três meninas e um menino, de 12, 10, 9 e 7 anos, respectivamente – e a esposa para depois cometeu suicídio se enforcando.

Continue lendo

Mundo

“Levem e deixe ele ser morto”, palavras duras de uma mãe estuprada por um filho esquizofrênico

A mulher que denunciou seu filho exigiu que as autoridades o levassem embora

Publicados

em

Há poucos dias, a história de uma mulher de Salta, na Argentina, que foi abusada por seu próprio filho de 22 anos, foi denunciada e relatada às autoridades por causa dessa situação .

Neste fim de semana, o jornal ‘Que Pasa Salta’ entrevistou Patricia Ortega, 41 anos, e disse que seu filho não só abusou dela , mas também a enforcou e quase a estrangulou.

De acordo com a mãe aflita, seu filho sofre de esquizofrenia psicótica, comportamento que não foi detectado até a adolescência.

“Eu tenho lutado com ele desde que ele tinha sete anos de idade, porque ele sempre mostrou mudanças muito drásticas de atitude “

Ao longo dos anos, Patricia explicou que seu filho esquizofrênico não era apenas mais agressivo, mas também se viciou em drogas desde os dez anos de idade, depois que seu pai começou a lhe dar doses para acalmá-lo; em sua fase de puberdade, ele era violento com as mulheres .

De acordo com El Tribuno, o dia em que Patricia foi brutalmente abusada pelo filho, ela descobriu que era tudo, menos o homem que ela criou.

“Eu estava na cozinha quando ele de repente veio, me bateu, me levou para o meu quarto e me abusou lá. Ele me enforcou com os braços. Se eu não desmaiasse, ia morrer “

No dia seguinte ao ataque, a mulher indicou que seu filho estava muito calmo e que ele até trouxe chocolates para comer juntos. Depois desse ataque sexual , ela pediu apoio às autoridades para que seu filho fosse levado a um centro psiquiátrico.

“Pedi ajuda para ser internado em um hospital psiquiátrico, mas eles nunca quiseram levá-lo. Eu tinha sete ordens judiciais para ele ser levado e quando o fizeram, colocaram-no com mulheres jovens; Eu tive que tirá-lo de lá porque eu tinha medo que ele atacasse as garotas naquele lugar “

Por outro lado, quando perguntada sobre o que ela quer que eles façam com seu filho, ela apontou que “tudo é possível”, mesmo que eles o matem “pelos doentes “.

“A verdade é que para mim, meu filho morre ou em um daqueles que o matam; Ele está doente e isso nunca mudará nele “

O jovem tem pelo menos cinco antecedentes criminais por crimes sexuais e mais um por tentativa de homicídio; No entanto, as autoridades de Salta ainda não têm ordem judicial para serem presas ou colocadas em um hospital psiquiátrico .

Devido ao seu estado de saúde mental, pode ser considerado intacto.

Continue lendo

Mundo

Com depressão, mãe mata o filho de 5 anos estrangulado e tira sua própria vida em seguida

Diferentes meios de comunicação informaram que uma mulher de 30 anos supostamente assassinou seu filho, cinco anos de idade , e depois se matou em seu apartamento

Publicados

em

De acordo com primeiros relatos, a mãe, original de Puebla, no México, estrangulou seu filho menor em seu apartamento na unidade de alojamento Coyol, a oeste do porto de Veracruz.

Era domingo, quando a família decidiu ir para o endereço, preocupado por não saber nada sobre a mulher por vários dias por volta de 11h.

No local eles encontram Sherezada M. de 30 anos, que estava com uma corda em seu pescoço na cozinha enquanto seu filho Luis C. foi encontrado em uma das cadeiras, coberto com um cobertor e estrangulamento marcas.

Depois de testemunhar a cena, os familiares relataram o incidente às autoridades, para que os membros das polícias estaduais Veracruz fossem ao local para ver a cena. Ao chegar eles isolaram a área e iniciou os procedimentos correspondentes para determinar se era realmente um homicídio e um suicídio .

Segundo a versão da família de Occupy, a mulher sofreu de depressão por vários meses, decorrentes de problemas pessoais.

Continue lendo
Publicidade