conecte-se conosco

Policia

Presos acusados de estupro e assassinato de mulher grávida em Juazeiro do Norte

John foi preso na Praça do Mateu e Leandro em sua casa que fica perto da residência da vítima

Publicados

em

Presos no início da tarde desta terça-feira, ainda estão recolhidos à carceragem da Delegacia de Polícia Civil de Juazeiro Leandro Cardoso dos Santos, de 24, e Francisco John Nogueira dos Santos, de 18 anos. Eles são acusados do assassinato de Sheila Cristina Lima Lins, de 34 anos, e o futuro de ambos será decidido hoje já que não houve flagrante e nem foram decretadas suas prisões. As informações é do site Miséria.

No dia 5 de janeiro, a vítima teve o corpo encontrado despido no quarto de sua casa na Rua Engenheiro José Onofre Marques (São José) em Juazeiro do Norte.

O cadáver apresentava várias perfurações à faca, as mãos amarradas e sinais de violência sexual. Ela estava grávida de cinco meses e sua residência foi invadida pela madrugada, sendo morta na presença de um filho autista de 5 anos já que seu marido, Cícero Aderlanio de Sousa Batista, se encontrava em viagem. A operação para prender a dupla foi coordenada pelo Tenente Lindemberg, comandante da Força Tática e da Subagência de Inteligência do 2º BPM.

Por volta das 13 horas de ontem, John Nogueira foi localizado na Praça do Mateu na Avenida Castelo Branco, confessou o crime e estava com o celular da vítima a exemplo de um punhal supostamente usado no assassinato. Ele relatou ter feito sexo com a vítima usando camisinha e, segundo disse, Sheila também foi abusada sexualmente por Leandro. Este último é irmão do padrasto da vítima, foi preso em sua residência próximo à casa dela e nega envolvimento no crime.

Inclusive, Leandro esteve no velório de Sheila e até chorou. Nenhum tinha passagem pela polícia e, à princípio, John disse ter comprado o celular e foi indiciado por receptação em virtude do flagrante. Já Leandro deve responder por estupro, homicídio e a provocação de aborto sem consentimento da gestante. Eles foram levados à Pefoce Cariri para colher material genético destinado a exames de DNA e impressões digitais a serem comparados com o material coletado da vítima na intenção de compor o conjunto probatório.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *