conecte-se conosco

Policia

Preso no Ceará homem que assassinou em São Paulo a ex-namorada, bailarina do “Faustão”

A cearense Ana Carolina de Souza Vieira era um dos destaques do programa do Faustão. Ana foi morta por estrangulamento (asfixia mecânica) pelo namorado

Publicados

em

Preso no Ceará homem que assassinou em São Paulo a ex-namorada, bailarina do “Faustão”

A Polícia Civil do Ceará capturou em Fortaleza, nesta quinta-feira (1º), um foragido da Justiça do estado de São Paulo. Trata-se de Anderson Rodrigues Leitão, de 32 anos, que foi condenado a 11 anos de prisão pela morte da ex-namorada, a bailarina cearense Ana Carolina de Souza Vieira, ex-integrante do Programa do Faustão, da Rede Globo de Televisão.

O crime aconteceu em novembro de 2015, quando a bailarina foi encontrada morta no apartamento em que morava na Rua Vergueiro, no Sacomã, na Zona Sul de São Paulo. Anderson foi localizado e detido, ontem, na casa de familiares, no bairro Barroso. Ele havia fugido em abril último de um presídio paulista, onde cumpria pena no sistema semiaberto.

De acordo com o relato das autoridades policiais de São Paulo, horas depois de ser detido, no mesmo dia em que o corpo da bailarina foi encontrado, Anderson confessou ter matado a ex-namorada por estrangulamento. Em depoimento, revelou que o motivo foi ciúmes.

O corpo

Depois de pedir ao porteiro que não deixasse Anderson entrar no edifício, a bailarina Ana Carolina permitiu que o ex-namorado subisse para o apartamento dela, após ele insistir muito. O irmão de Carolina, Igor Vieira, soube da morte por meio de um tio que mora em São Paulo.

Funcionários do prédio onde o crime aconteceu afirmaram que sentiram um forte odor vindo do 5º andar. Ao tocarem a campainha, notaram que a porta estava destrancada. Logo, o corpo da jovem foi encontrado enrolado por cobertores, na cama. Havia sinais de violência e o cadáver já estava entrando em estado de decomposição, pois a mulher havia sido morta há três dias da descoberta do cadáver. A Perícia concluiu que a morte foi provocada por asfixia mecânica (estrangulamento).

Julgamento

Anderson Rodrigues Leitão foi julgado em 2017 e condenado a uma pena privativa de liberdade estipulada pela Justiça de São Paulo em 11 anos e quatro meses de reclusão. No começo deste ano, ele foi colocado em regime semiaberto e, em abril, fugiu de São Paulo e voltou para o Ceará.

Jornalista Fernando Ribeiro

Propaganda