conecte-se conosco

Brasil

Padrasto mata menino de 7 anos; enfiou um cabo de vassoura na vítima

Com base em confissão e laudos, força-tarefa da PC revelou como foi a morte do menino de 7 anos. “Parece que ele já estava com um pau na mão”, afirmou um dos suspeitos

Publicados

em

Próximo de uma conclusão, uma investigação da Delegacia de Homicídios de Goiânia apontou nesta 6ª feira (31), que Hian Alves de Oliveira e Reginaldo Lima Santos foram os autores do assassinato de Danilo de Souza Silva, menino de 7 anos encontrado morto no dia 27 de julho no Parque Santa Rita, na capital.

De acordo com a Polícia Civil, os suspeitos são, respectivamente, colega e padrasto da vítima. O levantamento da força-tarefa destacada para o caso apurou que o padrasto do menino foi o mentor do crime, pois tinha “aversão” aos filhos da esposa que foram concebidos com outros companheiros.

Para convencer Hian a ajudá-lo, Reginaldo teria prometido uma moto como recompensa.

“Ele me ofereceu a moto. Eu ajudei a levar o Danilo para a mata e fui trabalhar. Eu subi e ele ficou com o menino lá, não sei o que ele fez [depois]”, afirmou o jovem em vídeo de confissão gravado pela PC.

“Parece que ele já estava com um pau na mão. Pegou e enfiou na b… dele”, relatou Hian. Por sua vez, Reginaldo não confessou o crime e disse ser vítima de uma “armação” ao ser levado à DIH.

Segundo os investigadores, a dupla teria pressionado o crânio do menino contra o lamaçal, pisando e empurrando a sua cabeça. Com um pedaço de madeira de cerca de 2 cm de diâmetro e 1 m de comprimento, Reginaldo teria, na sequência, perfurado a nádega da criança.

A região do ferimento, próxima ao ânus da criança, fez com que a perícia apontasse a possibilidade de abuso nos primeiros momentos da investigação.

Porém, a hipótese de violência sexual foi descartada. Danilo morreu por asfixia, apenas momentos depois, após a entrada de lama na sua boca e narinas.

De acordo com os delegados responsáveis pelo caso, Rilmo Braga e Ernane Cázer, a coincidência entre os fatos narrados por Hian e as evidências apontadas pelos laudos periciais foram determinantes para o pedido de prisão da dupla.

Detidos, eles responderão pelo crime de ocultação de cadáver em conexão com homicídio qualificado.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *