Pacto entre facções no Ceará faz índices de homicídios caírem em janeiro - Mceara.com
Siga-nos nas redes sociais

Policia

Pacto entre facções no Ceará faz índices de homicídios caírem em janeiro

Em áudio, recebido de uma fonte do sistema prisional, um criminoso afirma que um pacto foi firmado entre as facções; veja na reportagem

Apesar dos ataques em série, a média de homicídios em Fortaleza diminuiu e atingiu o mesmo índice do período em que facções criminosas fizeram acordo de paz. Ao que parece, grupos rivais voltaram a firmar uma espécie de trégua.

Em áudio, recebido de uma fonte do sistema prisional, um criminoso afirma que um pacto foi firmado entre as facções.

O objetivo é atingir o Governo do Estado. “Foi dada uma trégua entre as ‘guerra’ de facções, pelo objetivo maior que é brigar contra o Governo do Estado, que tá querendo oprimir, torturar, matar nossos irmãos e todos os irmãos que se encontram no privado, entendeu?”, diz o áudio.

Em um outro áudio fica claro que, apesar da trégua, a rivalidade entre esses grupos criminosos não deixa de existir. “Não tem essa de irmão CV tá nadando na área de GDE, não. Porque se chegar lá os caras vão tirar onda. Do mesmo jeito é as ‘áreas’ que é CV. Para não perder o bem maior que é a vida”.

Para o Presidente do Conselho Penitenciário, Cláudio Justa, o período de trégua entre as facções traz impacto no registro de homicídios pela cidade, “não existe um trabalho em conjunto de todas as facções, o que existe um pacto de não agressão e cada facção faz sua ação de terror”, comenta Cláudio Justa.

Em 2015, no primeiro mês do Governo Camilo Santana, foram registradas 192 mortes em Fortaleza. A média era de 6,19 assassinatos por dia. Em janeiro de 2016, houve um acordo de paz entre as facções criminosas. Naquele mês foram 97 mortes. A média de assassinatos por dia baixou para 3,12 casos.

Em janeiro de 2017, a violência avançou: 122 mortes, com média 3,93 casos por dia. E em janeiro do ano passado foram 164 mortes. A média de assassinatos por dia subiu para 5,29 casos.


Matéria do Tribuna do Ceará

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *