conecte-se conosco

Policia

Paciente furta pinça cirúrgica, tenta matar outro, fere enfermeiras e ataca PM em hospital de Fortaleza

O paciente agressor foi preso em flagrante. O caso aconteceu nesta terça-feira, no Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF), Centro da capital

Um paciente furtou uma pinça cirúrgica e tentou assassinar outro paciente, nesta terça-feira (2), no Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF), localizado no Centro de Fortaleza. Durante a tentativa de homicídio, o suspeito ainda feriu duas enfermeiras que trabalham na unidade e atacou um policial, que tentou impedir o crime. O agressor foi preso em flagrante, convertido para prisão preventiva pela juíza Flávia Setúbal de Sousa Duarte.

O g1 entrou em contato e aguarda resposta do IJF, da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e da Polícia Militar do Ceará (PMCE).

A vítima da tentativa de homicídio aguardava uma cirurgia na unidade hospitalar, e foi lesionada na região da cabeça, rosto, tórax e perna esquerda. No auto de prisão consta que o assassinato só não ocorreu, de fato, por intervenção de terceiros.

Durante a tentativa, duas enfermeiras foram lesionadas pelo suspeito; uma na cabeça e a outra no abdômen. O homem conseguiu ainda pegar uma tesoura, para continuar perseguindo a primeira vítima, quando foi impedido de cometer o crime por um policial. O homem tentou agredir também o agente de segurança pública.

“A gravidade em concreto da conduta atribuída a agente é bastante elevada, diante da forma como os crimes foram perpetrados, pois há indícios de que o autuado, no interior de uma unidade hospitalar, onde ninguém esperava um ataque contra a vida, após subtrair pinça cirúrgica e tesoura, investiu contra o ofendido, efetuando vários golpes, que atingiram a região da cabeça, rosto, tórax e perna esquerda do […] paciente que estava internado, aguardando cirurgia, além de lesionar duas enfermeiras (uma na região da cabeça e a outra do abdômen), só não ocorrendo uma tragédia ainda maior em razão da intervenção de policial, que também sofreu tentativa de lesão”, traz o documento judicial.

O autuado não tem antecedentes criminais. Ainda assim, a juíza considerou que a forma como aconteceu a tentativa de homicídio “denota periculosidade concreta”. Não há informações sobre a motivação do agressor para cometer o crime.

Propaganda