conecte-se conosco

Policia

Líder de facção criminosa é preso pela Polícia Federal em Fortaleza

Na ação, foram apreendidos bens de alto valor como veículos, joias, relógios, dinheiro em espécie e documentos, incluindo uma identidade falsa com foto de um dos foragidos

Um líder de facção criminosa foi preso pela Polícia Federal (PF) nesta quinta-feira, 11, em um condomínio de luxo, localizado em Fortaleza. O irmão do criminoso também foi preso em conjunto durante a ação, que ocorreu após cumprimento de mandados de prisão preventiva expedidos pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

Na ação, foram cumpridos ainda mandados de busca e apreensão, expedidos pela 11ª Vara Federal do Ceará, em três condomínios de alto padrão, localizados nos municípios de Aquiraz, Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), e na Capital.

Nos locais, foram apreendidos bens de alto valor como veículos, joias, relógios, dinheiro em espécie e documentos, incluindo uma identidade falsa com foto de um dos foragidos.

Na ficha criminal, os criminosos respondem por tráfico de drogas, associação criminosa e porte ilegal de armas. Entre os criminosos, um um já foi condenado por roubo a um banco no Rio Grande do Sul (RS).

Além disso, um deles estava foragido da Justiça desde fevereiro de 2020, após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter concedido liberdade em sede de Habeas Corpus impetrado pela defesa. A liberdade ocorreu em agosto do ano de 2019.

No entanto, a decisão foi revogada pelo próprio Supremo após terem sido apresentadas informações que demonstraram a periculosidade do réu, bem como sua posição de destaque na organização criminosa.

Sobre a ação desta quinta, a Polícia Federal identificou o esconderijo dos foragidos por meio de informações obtidas em investigação que levou a prisão de outro integrante de uma facção criminosa, envolvido com assalto a bancos, preso pela Polícia Federal em outubro deste ano.

O POVO procurou a Polícia Federal (PF) a partir das 15h28min desta quinta-feira, 11, por e-mail, ligações telefônicas e mensagens no WhatsApp, para saber mais detalhes da operação, como a localização do condomínio de luxo em Fortaleza e para onde foram encaminhados os criminosos na Capital. Até o fechamento desta matéria, a PF não tinha retornado com as informações.

Propaganda