Cearense é agredida e morta em hotel em São Paulo

Cearense é agredida e morta em hotel em São Paulo

Karen Cristina foi para São Paulo em agosto deste ano

Menino de 11 anos dá facada no pai para defender a mãe que estava sendo agredida
Mulher reclama do marido por vício em jogos e acaba agredida em Santa Quitéria
Após ser agredida com socos, mulher grávida mata marido a facadas

Travesti Karen Cristina, de 18 anos, natural do Ceará, foi agredida e morta na noite desta quarta-feira (9), em um hotel na cidade de São Paulo. A família da jovem faz uma campanha para trazer o corpo dela da capital paulista para Fortaleza.

Karen chegou a gravar um vídeo momentos antes do crime acontecer, informando que estava em um hotel e enviou para a família. Em um outro vídeo registrado após o crime, a jovem aparece caída no chão do estabelecimento, desacordada, enquanto uma amiga fala que ela foi agredida por um cliente que se recusou a pagar um programa.

Segundo Alessandra, irmã de Karen, um laudo do Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo atestou que a causa da morte da jovem foi traumatismo craniano. Karen Cristina foi para São Paulo em agosto deste ano para trabalhar como garota de programa e pretendia retornar ao Ceará dia 20 deste mês.

Alessandra afirma que Karen estava no hotel acompanhada de um cliente e da amiga, quando a colega dela pegou o aparelho celular do cliente e colocou na bolsa da jovem sem ela perceber. Quando o suspeito sentiu falta do aparelho, revistou a bolsa de Karen e iniciou as agressões depois de encontrar o celular.

A amiga e o agressor foram presos, de acordo com a irmã da vítima. O Diário do Nordeste solicitou nota sobre o caso a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo e aguarda reposta da pasta.

DN