conecte-se conosco

Olá o que procuras?

Mundo

Mãe filma seu parceiro abusando de sua filha menor para divulgar vídeos na internet

O Ministério Público considerou que havia provas suficientes para apresentar acusações contra Danyk Mariela Farfán Retto pelo crime de estupro de um menor em estado de inconsciência

A Procuradoria Provincial Mista de Huarmey pediu 26 anos de prisão para Danyk Mariela Farfán Retto, acusada de violar sexualmente a sua filha de 14 anos, gravá-la em cumplicidade com o seu parceiro e compartilhar este vídeo via redes sociais com um grupo de pessoas que fariam parte de uma rede de pedofilia.

Após a investigação, o Ministério Público considerou que existiam provas suficientes para apresentar acusações contra a mulher pelo crime de violação de um menor em estado de inconsciência.

Da mesma forma, a acusação do promotor chega a César Martínez Granda, padrasto do menor abusado. Há 6 anos e 8 meses que o acusam de crime de pornografia infantil.

A mulher está em prisão preventiva desde o ano passado, quando foi capturada em Cusco, onde fugiu com as suas filhas menores.

O fato terrível foi descoberto depois que a mulher perdeu o celular e foi encontrado por um desconhecido que denunciou o fato à polícia, que localizou o pai dos menores, de 14 e 10 anos, para lhe contar o que realmente estava acontecendo com suas filhas.

Em Huarmey, a promotoria iniciou as investigações, mas a mulher decidiu viajar para Cusco. Em setembro de 2018, ela foi intervencionada em um albergue naquela cidade na companhia de sua nora e outra com menos de cinco anos de idade.

De acordo com o Ministério Público, a mulher também alegadamente abusou da filha de 10 anos. No entanto, de acordo com o jornal El Comercio, apenas a mais velha, que aparece na gravação encontrada, declarou que foi vítima de abuso por parte de seu progenitor.

Danyk Farfán está atualmente detido na prisão de Cambio Puente, em Chimbote, onde ela está cumprindo um mandato de prisão preventiva, enquanto seu parceiro está fugindo da justiça.

A acusação do Ministério Público foi apresentada ao Tribunal Penal de Investigação Preparatória de Huarmey. Foi relatado que o acusado participará das audiências através de videoconferência, a partir das instalações da penitenciária.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda