Connect with us

Brasil

Padrasto flagrado dando surra em crianças se defende: “Cuido com amor”

Segundo o padrasto, os áudios são falsos e as fotos descontextualizadas. Ele, no entanto, admite ter ameaçado a vizinha

O padrasto que foi denunciado à Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) por um suposto caso de maus-tratos contra três crianças de 12, 9 e 7 anos nega as acusações feitas pela vizinha. Segundo ele, os áudios são falsos e as fotos descontextualizadas.

O homem, que não terá o nome revelado para não expor as crianças, entrou em contato com a reportagem e fez questão de dizer que o tratamento dado aos enteados é o melhor possível. “Nós cuidamos muito bem, com muito carinho e amor”, afirmou.

De acordo com o padrasto, a suposta denúncia inventada pela vizinha teria origem em um desentendimento anterior entre os dois. “Ela fica implicando com a gente. Uma vez os meninos sujaram uma parte da área comum do prédio e ela fez um vídeo até a porta da minha casa para postar no grupo do condomínio, completamente sem necessidade”, explicou.

Esse foi apenas um dos vários problemas entre os dois. Tanto que em determinado momento, admite o advogado, ele proferiu ameaças. “Realmente fiz isso, pois fiquei muito nervoso, mas é porque essa mulher vem nos perseguindo”, reclamou.

Conforme argumenta, depois dessas discussões, a mulher inventou a denúncia para tentar prejudicá-lo. “Não sei de onde vieram esses áudios, talvez ela tenha forjado, mas as fotos são de um processo onde o Ministério Público entendeu que eu não havia agredido”, denfendeu.

O caso

O Metrópoles revelou nessa quarta-feira (20/7) que a PCDF investiga o caso. As surras e os gritos de ira e desespero atravessavam as paredes do apartamento, em Ceilândia. Com isso, as agressões foram denunciadas por vizinhos ao Conselho Tutelar da região administrativa.

Em um episódio registrado pela PCDF em 10 de junho do ano passado, a avó das crianças tenta intervir que a neta de 12 anos fosse surrada dentro de um quarto.

A idosa precisou arrombar a porta e, quando entrou, viu a menina sendo espancada e segurada pelos cabelos pela mãe. Quando tentou apartar, a avó foi empurrada, estapeada e levou uma surra do padrasto, que usou um cabo de vassoura para atacá-la. O homem é advogado e tem carteira da Ordem ativa.

Trending Posts