Justiça autoriza aborto em menina de 10 anos grávida após abuso do tio

Justiça autoriza aborto em menina de 10 anos grávida após abuso do tio

Caso foi descoberto após criança ir a hospital com sinais de gravidez, e o tio da vítima é suspeito de cometer os abusos

Vizinho estupra filha por 8h e obriga mãe segurar vítima durante abuso
Adolescente de 15 anos confessa ter estuprado o irmãozinho de 9
Mãe é presa após “vender” filha de 11 anos a estuprador por R$ 263; criança ficou com ferimentos graves

Na última sexta-feira (14), Antônio Fernandes, juiz da Vara da Infância e da Juventude da cidade de São Mateus, determinou através de despacho que a menina de 10 anos que engravidou após ser abusada pelo tio, interrompa a gestação.

O procedimento ao qual a criança será submetida levará em consideração a melhor viabilidade para que a vida da mesma seja preservada.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o trecho da decisão informa que a interrupção poderá ocorrer através do aborto ou por meio do parto normal imediato e, diante da decisão, o Ministério Público capixaba atendeu ao pedido.

A Polícia Civil da cidade de São Mateus, no estado do Espírito Santo, investiga um homem de 33 anos que violentava a sobrinha de 10 anos há pelo menos quatro anos, conforme afirmou a vítima no inquérito policial.

Os abusos sexuais ocorriam sem que a família soubesse pois, segundo a vítima, o companheiro de sua tia a ameaçava. Após o caso ser descoberto, o suspeito fugiu e se encontra foragido.

A criança, que foi vitimada por um suposto estuprador, deu entrada no Hospital Estadual Roberto Silvares, em São Mateus, no sábado (8) mostrando sinais de gravidez.

Imediatamente a equipe médica atendeu a criança e, após exames, constatou que a menina de 10 anos estava grávida de aproximadamente 3 meses. Diante de tal constatação, a Polícia Civil foi acionada e a criança confessou que sofria abusos e que não delatou o criminoso por medo, já que era constantemente coagida a se calar por meio de ameaças.

O delegado Leonardo Malacarne informou que buscas foram feitas nas residências de familiares do criminoso que se situam no interior da Bahia, mas todos ignoraram seu paradeiro. O homem está sendo indiciado por cometer os crimes de ameaça e abuso de vulnerável.

A Justiça informou que a menina foi levada para um abrigo em Vitória, capital do Estado, onde está recebendo o atendimento adequado seja na área médica, social e psicológica. O caso está sendo acompanhado também pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Blasting News

COMENTÁRIOS