Connect with us

Policial

MP denuncia acusados de matar universitária. Criminosos foram soltos em audiência de custódia

Cecília Rachel tinha 23 anos e sonhava com a carreira jurídica, mas foi assassinada covardemente

Jornalista Fernando Ribeiro | O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou, ontem (3), sete pessoas – cinco homens e duas mulheres – como acusadas de envolvimento na morte da estudante universitária de Direito, Cecília Rachel Gonçalves Moura, que tinha 23 anos e foi assassinada, a tiros, durante uma tentativa de assalto. O crime ocorreu na manhã do dia 12 de abril, no bairro Parque Manibura, em Fortaleza. O promotor de Justiça, Felipe Diogo Frota, da 8ª Promotoria de Justiça Criminal da Capital, encaminhou a denúncia à Justiça e pediu que todos os acusados continuem presos até o julgamento.

Criminosos responsáveis pelo latrocínio foram presos e, depois, soltos em audiência de custódia

Segundo a denúncia do MP, participaram do assassinato da estudante as seguintes pessoas: Geanderson da Silva Barbosa (acusado de atirar na vítima), Rodrigo Barbosa de Moura, Leonardo Lima do Nascimento, Antônio Honorato Pinheiro Macedo Filho, Jeferson de Freitas Rodrigues, Antônia Alexandre do Nascimento (mulher de Jeferson) e Jéssica Ferreira Oliveira.

A quadrilha atuava em constantes assaltos no Parque Manibura e bairros próximos cortados pela Avenida Washington Soares, como Cidade dos Funcionários, Água Fria e Edson Queiroz. O grupo se especializou em roubar carros novos e de luxo para repassá-los a outros criminosos. As duas mulheres eram as “olheiras” do bando, isto é, se encarregavam de avisar os comparsas sobre o melhor momento para atacar, sem a presença da Polícia.

Tiro fatal

Na manhã do dia 12 de abril passado, Cecília Rachel dirigia seu veículo quando, ao chegar na Rua Vereador Pedro Paulo, a dois quarteirões da Avenida Washington Soares, foi atacada pelos criminosos que estavam em outro carro. Assustada na hora da abordagem, ela perdeu o controle do carro e se chocou contra o muro de uma residência, ocasião em que foi atingida com um tiro na cabeça. Chegou a ser socorrida por populares e levada para o Instituto Doutor José Frota, onde horas depois faleceu.

A estudante era aluna de Direito e estagiava na 3ª Promotoria de Justiça Auxiliar do Crime, da procuradoria Geral da Justiça; e no Núcleo Criminal do Ministério Público Federal no Ceará (MPF).

Logo após o crime, as polícias Civil e Militar iniciaram buscas aos criminosos e, ainda, no mesmo dia do crime, três dos sete envolvidos foram capturados pela PM no bairro Sapiranga-Coité. Com a detenção dos primeiros, os demais foram sendo, paulatinamente, identificados e presos.

Audiência de custódia

Todos foram autuados em flagrante por crime de latrocínio (roubo seguido de morte) na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Porém, alguns participaram de audiências de custódia e foram libertados. Agora, o MP quer a prisão de todos novamente.

Propaganda
Clique e comente

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Copyright © 2018 MCeara. Todos os direitos reservados ao Sistema MassapeCeara de Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuição sem prévia autorização.