Connect with us

Policial

Morte de PMs no Ceará foi ordenada de dentro de presidio para vingar execução de membro da GDE

Crime foi planejado e executado pelos mesmos bandidos que mataram outro militar no dia 29 de julho no mesmo bairro. Sete suspeitos estão presos na DHPP depois de descobertos pela Inteligência do Batalhão Raio

Uma simples ligação telefônica originada de uma cela da Casa de Privação Provisória da Liberdade Professor Clodoaldo Pinto, a CPPL 2, em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), foi o suficiente para que fosse decretada a morte de três policiais militares cearenses. Da ligação para a execução do crime o tempo passou rápido. Era por volta de 14h13 quando quatro homens desceram de um carro preto na esquina das ruas São Manoel e Padre Arimatéia, na Vila Manuel Sátiro, na zona Sul da Capital, e fuzilassem os três PMs dentro de um restaurante onde eles almoçavam. Foi uma tripla execução sumária.

A ordem para matar o 2º tenente Antônio César Oliveira Gomes, 50 anos; o subtenente Sanderleu Cavalcante Sampaio, 46; e o 2º sargento José Augusto de Lima, 58, partiu da liderança da facção criminosa Guardiões do Estado (GDE). O objetivo da chacina era retaliar a morte de um dos componentes do grupo criminoso, crime ocorrido no dia anterior, no mesmo bairro. Thallys Constantino foi executado a tiros de pistola dentro de seu carro quando chegava em casa, na Rua João Ramalho.

Confira

No Parque São José, homem foi fuzilado dentro do automóvel, na tarde desta quarta-feira

Thállys Constantino era suspeito de ter fornecido seu automóvel e uma motocicleta para que seus comparsas da GDE matassem um militar. O crime ocorreu exatamente às 20h27 do dia 29 de julho último, em um bar na Rua Dom Xisto Albano, também na Vila Manuel Sátiro. Na ocasião, o subtenente da PM, Juciano de Lima Barbosa, já da Reserva Remunerada, comemorava o aniversário de um filho. Juciano foi atingido por vários tiros, chegou a ser socorrido ao hospital distrital “Frotinha” de Parangaba, mas não resistiu. O enredo que culminou na morte dos três militares nesta quinta-feira (23) começava ali.

Assassinos presos

Depois da morte de Thállys Constantino, na tarde de quarta-feira, houve uma movimentação intensa nas celas da CPPL 2, onde estão reclusos os chefões da GDE. O plano para matar policiais começava a ser montado e foi concretizado às 14h13 de ontem. O tenente, o subtenente e o sargento – mesmo estando armados – não tiveram nenhuma chance, sequer, de defesa. Surpreendidos pelos “soldados” da GDE, acabaram mortos sumariamente.

Após o crime, seguiu-se uma caçada aos bandidos. Três deles conseguiram escapar. O quarto ficou para trás e saiu fugindo por telhados de residências, mas acabou baleado e morto. No começo da noite, os outros envolvidos foram capturados por policiais do Batalhão Raio (BPRaio) juntamente com equipes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O primeiro a ser detido foi identificado como “Rafael Spaw”, que confessou ter participado da morte dos três PMs ontem e também do assassinato do subtenente em julho.

Em seguida, foram detidos outros envolvidos na chacina dos militares. São eles: Chalisson de Araújo de Sousa, 20 anos, o “Charlim”; Vitor Paiva de Lima, 24, o “Vitinho”; Lucas Oliveira da Silva, 23, o “Luquinha”.

Também estão detidos: Francisco Wellington Almeida da Silva, 40 anos; Eduardo Vale de Lima, 36 anos; e Francisco Adriano Silva de Oliveira, 36 anos, todos membros da GDE.

Veja fotos dos acusados:

[Matéria do site Ceará News7/por Jornalista Fernando Ribeiro]

Propaganda
Clique e comente

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Copyright © 2018 MCeara. Todos os direitos reservados ao Sistema MassapeCeara de Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuição sem prévia autorização.