Connect with us

Brasil

Pai filma estupro da própria filha e diz: “ela é esperta”

Pai diz que culpa de abuso é da menina e que ela é quem filmou

Gazeta Digital | Um pai tentou responsabilizar a filha de seis anos, vítima de estupro, pelo crime. Luís Carlos da Silva, 32, foi preso no sábado (21) após ser acusado de estuprar a menina e filmar os momentos íntimos com a menor de idade com a câmera de um celular. O crime foi registrado no bairro Jardim Icaraí, em Várzea Grande, no Mato Grosso.

De acordo com informações da Polícia Civil (PJC), o homem já tem passagens criminais na polícia. O caso chegou ao conhecimento da família, depois que a prima do suspeito viu as imagens e encaminhou para a mãe da vítima. Ela rapidamente foi até a delegacia e registrou o estupro

Em depoimento, a mulher contou que se separou do acusado há pelo menos 7 meses.

Em uma entrevista ao programa Cadeia Neles (TV Vila Real), Luís confessou o crime e disse que tem vergonha por ter praticado o ato. Porém, tentou responsabilizar a criança afirmando que ela sabe o que estava fazendo.

“Essa menina é esperta. Ela sabe o que faz. Não sei o que fiz, mas ela que gravou”, disse.

Ainda na entrevista, o homem relatou que a filha foi abusada por um tio alguns meses antes, e, ninguém registrou um boletim de ocorrência contra o acusado.

“Ela é experiente porque presencia as relações sexuais da mãe com o atual namorado”. O caso chocou as autoridades policiais, mesmo diante de tantos casos de violência.

“Por mais acostumados que estamos com esses casos de violência, esse em especial afeta muito o nosso intuito de estar prevenindo, combatendo, ainda mais sendo um caso de família. Revolta tanto a polícia como de modo geral toda a sociedade e não se admite esse absurdo”, disse o investigador da PCJ, Celso Figueiredo.

Luís foi detido e autuado por estupro de vulnerável.

Copyright © 2018 MCeara. Todos os direitos reservados ao Sistema MassapeCeara de Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuição sem prévia autorização.