Connect with us

Brasil

Estuprador é violentado e obrigado a engolir sêmen de companheiro na cadeia

Após ser preso em 2015 por se masturbar em frente a casa de duas adolescentes, o detento acabou sendo abusado sexualmente pelo companheiro de cela

É Notícia | Após ser preso em 2015, um detento foi abusado sexualmente em um presídio no interior do Ceará.

Segundo informações, um homem de 35 anos foi preso após se masturbar em frente a casa de duas adolescentes. Em seguida, as jovens pegaram o telefone e acionaram a Central da Polícia Militar. Na ligação, as adolescentes informaram o que estava acontecendo em frente à residência.

Após a ligação, duas viaturas da polícia militar chegaram e conseguiram capturar o elemento no ato, em seguida, ele foi encaminhado para Delegacia da cidade. As vítimas também foram até a Delegacia, em outra viatura da polícia militar. ”Eu e minha amiga estávamos dançando na sala quando percebemos a presença de um homem na rua assistindo a gente dançar.

Logo em seguida, ele começou a se masturbar. Como estávamos sozinhas, liguei para polícia e relatei o que estava acontecendo”, contou uma das adolescentes.

Diante essas acusações, José acabou sendo preso e indiciado por tentativa de estupro. Em seguida, ele foi encaminhado para um presídio do Ceará. Ao chegar na penitenciária, ele foi levado até a cela onde iria permanecer, dividindo o quarto com outro elemento. Após o detento descobrir que José havia sido preso por se masturbar, o detento começou a acariciar o colega.

Em seguida, começou o abuso sexual. Fontes afirmam que a vítima gritava por ”socorro”, mas os agentes fingiam que não estavam ouvindo. O rapaz foi obrigado a engolir o sêmen do companheiro de cela. Quando o elemento parou com abuso, foi retirado da cela. Husdon de Souza Moreira Maciel, de 25 anos, havia sido preso pela polícia militar após cometer latrocínio seguido de morte.

Em seguida, o elemento foi encaminhado para Delegacia Regional de Polícia  Civil.

Hudson foi retirado da penitenciária onde estava e foi encaminhado para um outro presídio localizado em Juazeiro do Norte, por motivos de segurança. Segundo informações dos próprios agentes penitenciários, crimes como esse são ”comuns” nos presídios brasileiros.

”Quando um abusador chega no presídio, todos os detentos são informados do crime que ele cometeu. Em seguida, a justiça é feita pelos próprios presos”, relatou um agente penitenciário que não quis se identificar.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) está investigando o caso, onde irão apurar todas as evidências e localizar os agentes penitenciários que não interviram o abuso.

Propaganda
Clique e comente

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

Copyright © 2018 MCeara. Todos os direitos reservados ao Sistema MassapeCeara de Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuição sem prévia autorização.