Siga-nos nas redes sociais

Brasil

‘Não aceito apanhar de mulher’, diz jovem que matou namorada com coleira e dormiu dois dias ao lado do cadáver

Suspeito alegou “legítima defesa” segundo delegada. Ele passou 2 dias dormindo ao lado do cadáver dentro da casa onde os dois moravam em Sidrolândia (MS)

Publicados

em

O jovem de 18 anos que usou uma coleira de cachorro para matar a namorada de 17, em Sidrolândia, a 70 km de Campo Grande, disse em depoimento nesta segunda-feira (1º) que agiu em “legítima defesa”, porque a namorada o teria agredido com um cabo de vassoura. As informações do G1.

Ao G1, a delegada que investiga o caso, Thais Duarte Miranda, afirmou que o suspeito demonstrou frieza quando questionado sobre o motivo de assassinar a jovem:

“Ele disse ‘Não aceito apanhar de mulher’, alegando que ela o teria agredido com um cabo de vassoura e usado uma faca para ameaçá-lo.”
Segundo a polícia, primeiro, Paulo Eduardo dos Santos tentou esganar a vítima com as mãos, e depois, usou um fio de cabo de celular, que arrebentou. Em seguida, pegou a coleira do cachorro do casal e sufocou Jheniffer Cáceres de Oliveira até a morte. Eles tinham um relacionamento há 1 ano e 4 meses.

Segundo Thais, pelas circunstâncias em que a jovem foi morta, a agressividade do ataque do suspeito não caracteriza defesa:

“Ele tentou esganá-la primeiro, depois usou o fio do celular para sufocá-la e por fim, pegou um terceiro objeto para finalizar o que intencionava”.

Ainda de acordo com a delegada, Paulo informou que a discussão foi motivada por ciúme. A jovem teria deixado o namorado em um bar e ido para outro estabelecimento, onde ele a encontrou conversando com um homem.

“A gente consegue ver enquanto ele narra a história, a raiva do fato dela estar conversando com esse homem. Para ele, é como se Jheniffer estivesse ‘dando moral’ para esse outro rapaz e isso parece ter sido o grande problema para ele”, explica.

O suspeito teria narrado os fatos sem demonstrar arrependimento e nenhum tipo de emoção, segundo a delegada. Ele contou a história com riqueza de detalhes e informou que enrolou o corpo da jovem em um cobertor e a deixou no chão.

De acordo a com delegada, na última segunda-feira (1º) , Paulo foi para aulas de auto-escola, momento em que vizinhos sentiram mau cheiro e acionaram a polícia.

Segundo Thais, vizinhos informaram que suspeitavam que a vítima já sofria agressões, pois ela sempre usava casacos para esconder supostas lesões. O Corpo de Jheniffer foi encaminhado para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) de Campo Grande e deve ser sepultado na cidade de Dois Irmãos do Buriti (MS).

Paulo Eduardo deve passar na tarde desta terça-feira (2) por uma audiência de custódia. Ele irá responder pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver.

O caso

O corpo de Jheniffer Cáceres de Oliveira foi encontrado na manhã dessa segunda (1º), após vizinhos sentirem mau cheiro vindo da residência do casal. Ela foi encontrada dentro do quarto da casa.

Segundo o delegado Diego Dantas, o suspeito dormiu ao lado do corpo desde a madrugada do último sábado (30). Ele foi localizado e preso próximo a residência de onde aconteceu o crime.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Pai e filho que fariam surpresa para avó na Páscoa morrem em acidente; Veja o vídeo

Homem saiu de Santa Catarina com seus quatro filhos para passar feriado com familiares em BH, mas caminhão caiu de barranco próximo ao destino

Publicados

em

Planejando fazer uma surpresa no feriado de Páscoa e levar seus quatro filhos para conhecerem os familiares que vivem em Belo Horizonte, um caminhoneiro de Santa Catarina perdeu o controle do veículo e sofreu um acidente quando chegava perto de seu destino.

Luís Martinho de Santos Pacheco, de 26 anos, e um de seus filhos, de apenas 5 anos, morreram depois que o caminhão caiu de um barranco no bairro Ribeiro de Abreu, região Nordeste de Belo Horizonte. As outras três crianças tiveram ferimentos leves e foram encaminhadas para o Hospital de Pronto-Socorro João 23.

Segundo testemunhas, o caminhão desceu uma ladeira desgovernado depois de perder os freios, desceu um barranco e atingiu dois barracões, que estavam desocupados. O veículo ficou destruído e a carga de sabão em pó ficou espalhada no local.

José Antônio de Assis, que é casado com a avó do motorista disse que a família preparava uma recepção especial para as visitas.

– A gente estava muito feliz porque iríamos conhecer as crianças. Quando eu fiquei sabendo que o caminhão tinha placa de Santa Catarina eu sabia que só poderia ter sido a fatalidade com ele.

Com ajuda de moradores, os bombeiros precisaram cortar a lataria do caminhão para retirar os corpos e os três sobreviventes.

“As crianças que sobreviveram, milagrosamente, saíram sem lesões. Apenas escoriações superficiais e arranhões. Segundo os familiares, ele estava fazendo um frete com essa carga e faria uma surpresa trazendo as crianças para conhecerem os parentes”, afirmou o tenente do Corpo de Bombeiros Júlio Brant.

Continue lendo

Brasil

Homem abusa sexualmente de cadela porque a esposa estava menstruada; Veja o vídeo

O animal foi levado para a Dema e agora precisa de cuidados com urgência

Publicados

em

Uma cadela foi abusada sexualmente pelo tutor, nesta quinta-feira (18), no bairro do Barreiro, em Belém. Ele foi identificado como Raimundo Nonato Ferreira de Nazaré e, em depoimento à polícia, confessou o crime e disse que fez o ato porque a esposa estava menstruada.

Uma equipe da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema) recebeu a denúncia e foi até a casa do acusado, localizada na Passagem Stélio Maroja, no bairro do Barreiro, em Belém. Em seguida, ele foi encaminhado para a delegacia, junto com o animal, onde confessou o crime. Ele alegou que a esposa não sabia do abuso sexual.

De acordo com informações da Polícia Civil, o fato ocorreu na última segunda-feira (15), mas a denúncia foi feita nesta quinta. Os policiais civis que estavam de plantão receberam a denúncia e foram até Pronto Socorro da 14 de Março, local onde o acusado se encontrava e o encaminharam até a Dema para apresentação e adoção das providências cabíveis

A Polícia Civil informou ainda que foi requisitada perícia ao Centro de Perícia Renato Chaves para o acusado, que nesta quinta-feira apresentava uma coloração estranha em sua genitália.

Raquel Viana, responsável pelo abrigo AuFamily, que resgatou o animal, desabafou sobre o caso. “Eu peguei o animal e levei para a clínica, onde ela vai passar por exames. Ela também será encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para passar por perícia, mas enquanto isso o homem já foi liberado”.

“Ela ficará aos nossos cuidados até decisão judicial. Ele confessou o crime e nada acontecerá com esse ‘vagabundo’, porque nesse país o crime compensa. Infelizmente eu não posso expor ele”, completa. A cadela será batizada de Sol.

DOL

Continue lendo

Brasil

Homem é preso após usar uma batata-doce para simular arma em assalto

O bandido conseguiu levar a vítima até um matagal, onde ele o agrediu com uma barra de ferro, mas a vítima percebeu o simulacro e conseguiu reagir

Publicados

em

Um homem de 29 anos foi preso após tentar roubar um rapaz na noite dessa segunda-feira (15), em um bairro da parte alta de Maceió, capital de Alagoas. Até aí, nada de diferente. O inusitado foi que o criminoso usou uma batata-doce para simular uma arma de fogo.

Segundo informações do portal G1, o bandido conseguiu levar a vítima até um matagal, onde ele o agrediu com uma barra de ferro. Percebendo que, na verdade, o objeto que o homem usou para anunciar o assalto não era uma arma de fogo, o rapaz reagiu e imobilizou o criminoso.

“Percebi que o assaltante estava me batendo mesmo com uma arma na cintura e desconfiei. Então decidi imobilizá-lo, arrastei ele com uma chave de braço e pedi ajuda a quem passava pela pista”, contou a vítima em entrevista à TV Pajuçara.

O criminoso acabou sendo preso e levado para a Central de Flagrantes I da capital alagoana, onde foi autuado por tentativa de roubo.

Continue lendo

Brasil

Pai que estuprou e engravidou filha de 11 anos, jogou feto no lixo após aborto; Assista

A família disse que a menina estava no 5º mês de gravidez e sofreu um aborto espontâneo. Pai confessou estupro e Polícia Civil Investiga o caso

Publicados

em

Um pai foi preso na manhã desta quarta-feira (17) suspeito de ter estuprado e engravidado a própria filha, de 11 anos, no Bairro Residencial Coxipó, em Cuiabá. A criança sofreu um aborto, supostamente espontâneo, e foi internada em um hospital. Ela estava grávida de cinco meses.

De acordo informações do 9º Batalhão da Polícia Militar, o suspeito, de 39 anos, confessou o crime.

O caso veio à tona depois que a mãe percebeu mudanças no corpo da filha e percebeu o crescimento da barriga da menina.

A polícia encontrou apenas a mãe na casa onde ocorreu a denúncia. O aborto teria ocorrido na residência e o pai retirou o bebê do local. Ele teria colocado em uma sacola e enterrado.

Familiares da menina a levaram para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Pascoal Ramos. O suspeito confessou que a estuprava desde 2017.

O Conselho Tutelar foi chamado e acompanhou a criança. A menina foi transferida para o Hospital Universitário Júlio Müller, em Cuiabá, onde ela passa por atendimento.

O pai dela foi levado à Central de Flagrantes. O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica).

Continue lendo

Brasil

Pai e madrasta amarravam pênis para menino de cinco anos não urinar na roupa; “estava em carne viva”, disse a PM

O casal foi preso pelo crime de tortura. Eles usavam um elástico para amarrar o pênis do menino que com vários ferimentos e debilitado por fome, foi levado para a Upa

Publicados

em

Alexandre Max Nunes da Silva e Mariluce de Oliveira, pai e madrasta de um menino de cinco anos, que foram presos, na segunda-feira (15), por torturar a criança, usavam um elástico para amarrar o pênis do garoto, como forma de punição por ele urinar na roupa. O órgão genital do garoto estava ‘em carne viva’, conforme constatou a Polícia Civil.

O menino, ao ser encontrado pelos investigadores no bairro Pedra 90, em Cuiabá – MT, mal conseguia andar, porque não era alimentado. Ele tinha ferimentos por todo o corpo, além de marcas de queimaduras causadas por cigarro.

As investigações foram coordenadas pela Delegacia Especializada de Defesa dos Diretos da Criança e do Adolescente (Deddica). As prisões aconteceram após uma testemunha fazer uma denúncia anônima, relatando que a criança vinha sendo torturada pelo casal.

O pai agredia o filho com socos e a madrasta usava um pedaço de madeira para agredir o garoto. Ele também era obrigado a ficar de joelhos em grãos de arroz e no concreto quente, como forma de castigo.

O menino estava passando fome e foi levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (Upa).

De acordo com a Polícia Civil, o casal foi interrogado na delegacia e confessou as torturas. O Conselho Tutelar investiga o caso.

RepórterMT

Continue lendo

Recomendamos

Publicidade