Connect with us

Brasil

Moça foi morta pelo namorado por causa de mensagens no celular

O rapaz se mostrou arrependido por ter matado a namorada, com quem namorou por cerca de cinco meses

Publicado

em

Umuarama News | O adolescente de 17 anos que matou a namorada Kelly Sumie Sales, de 22 anos, por esganadura na tarde da última terça-feira, 29, no fundo de um terreno baldio, em Cruzeiro do Oeste, concedeu entrevista e disse que cometeu o crime por ciúmes.

Conforme o menor, ele matou a namorada depois que viu mensagens no celular dela que indicavam que a moça o estava traindo. Kelly teria corrido atrás dele para tomar o celular e os dois entraram em luta corporal. O adolescente disse que perdeu a cabeça e apertou o pescoço dela com as mãos “até que fez um barulho”.

Após o crime ele foi até a empresa onde trabalha e avisou o patrão que tinha matado a namorada. Foi o patrão que acionou a polícia. Mais tarde ele foi apreendido em sua casa pela equipe da Rotam.

O corpo de Kelly foi encontrado pendurado em uma árvore pela alça de uma bolsa. O menor, contudo, afirma que matou a namorada por esganadura e não por enforcamento. Ele negou ter roubado o dinheiro da vítima, que teria feito um acerto trabalhista.

O rapaz se mostrou arrependido por ter matado a namorada, com quem namorou por cerca de cinco meses. O casal tinha brigado e reatado o namoro três dias antes da morte.

Propaganda
Clique e comente

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Namorado de 19 anos queima e mata mulher de 18 anos grávida por não querer ter o filho

Crime ocorreu na última sexta-feira (9), em Embu das Artes, na Grande SP. Suspeito confessou o crime, informou a Secretaria de Segurança Pública

Publicado

em

Por

Um homem de 19 anos foi preso nesta segunda-feira (12) sob a suspeita de queimar e matar a mulher grávida, de 18 anos, em Embu das Artes, na Grande São Paulo.

O corpo de Valéria Rodrigues da Cunha foi encontrado parcialmente carbonizado, por volta de 17h, na sexta-feira (9), na rua Zirok, no Parque Industrial. Policiais militares foram acionados após uma denúncia e, ao chegarem ao local, encontraram a vítima. O caso foi registrado na Delegacia de Embu das Artes, que posteriormente solicitou perícia ao local, exame necroscópico e carro de cadáver.

De acordo com Bernardo Armani, repórter da RecordTV, a jovem estava grávida de cinco meses e o suspeito não queria ter o filho. Os dois discutiram antes de ele assassiná-la.

A morte de Valéria foi explicada pelos investigadores da Polícia Civil. Em nota, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou que o homem, com quem a vítima mantinha um relacionamento amoroso, confessou o crime. “O delegado o indiciou por homicídio”, disse a nota.

Matéria do R7

Continue lendo

Brasil

Ex-prefeito é morto pelo pai após ser confundido com assaltante, na PB

Filho foi até a casa do pai após ser chamado por vizinhos porque uma fumaça estava saindo da casa dele

Publicado

em

Por

O ex-prefeito da cidade de Baraúna, no Curimataú da Paraíba, foi morto pelo pai após ser confundido com um assaltante na noite desta segunda-feira (12). De acordo com a Polícia Civil, Alyson Azevedo tinha 37 anos e foi até a casa do pai, Adilson Azevedo, também ex-prefeito da cidade, depois de ser chamado por vizinhos porque uma fumaça estava saindo da casa dele e ninguém conseguia acordá-lo.

Alyson correu até a casa do pai e tentou arrombar a porta. Nesse momento, o pai atirou de dentro da casa contra o filho achando que se tratava de um assalto. Alyson Azevedo foi baleado no peito, chegou a ser levado para o Hospital de Picuí, mas não resistiu e morreu.

A fumaça que saía da casa e chamou a atenção dos vizinhos era de uma panela que estava no fogão. O pai, Adilson Azevedo, vai prestar depoimento à polícia nesta terça-feira (13) sobre o caso.

Alyson Azevedo foi eleito prefeito da cidade de Baraúna em 2008, pelo MDB, enquanto seu pai, Adilson Azevedo, foi o candidato eleito das Eleições 2000, pelo mesmo partido, na época ainda PMDB.

Matéria do G1

Continue lendo

Brasil

Mulher é presa por decapitar e esconder o corpo do ex-marido

Uma nova investigação foi iniciada porque um ex-namorado da suspeita também teria sido assassinado anos atrás

Publicado

em

Por

Uma mulher de 38 anos foi presa temporariamente nesta sexta-feira suspeita pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver de seu ex-marido, o pedreiro Edivaldo Dias, de 38 anos. O corpo da vítima foi encontrado sem a cabeça no dia 16 de outubro deste ano por moradores da área rural de Colombo, Região Metropolitana de Curitiba. A mulher foi presa em Rio do Sul (SC) por policiais civis da Delegacia de Almirante Tamandaré. As informações são da Polícia Civil do Paraná.

O delegado também esclareceu que uma nova investigação foi iniciada porque um ex-namorado da suspeita também teria sido assassinado anos atrás.

Segundo a investigação, Edivaldo já estava desaparecida desde o dia 13 de outubro. Dias depois, os moradores foram averiguar, por terem visto rastros de sangue no matagal, e se depararam com o corpo decapitado. No outro dia, crianças curiosas com a situação foram até os arredores e acharam a cabeça da vítima, que foi sepultada separadamente ao corpo.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, a mulher era a principal suspeita. “No dia 13, quando Dias desapareceu, havia uma ligação em seu celular realizada pela suspeita às 5 horas da manhã e já existiam Boletins de Ocorrência registrados pela vítima contra ela, dando conta de que teria tentado esfaqueá-lo. Também recebemos uma denúncia anônima dando conta de que ela seria a suspeita pelo crime e dias após o desaparecimento da vítima, teria levado seu carro a um lava-jato a cerca de 25 km de distância de sua residência”, revela.

Ao todo cinco testemunhas foram ouvidas, entre elas duas sigilosas. A suspeita estava foragida em Rio do Oeste (SC) e foi presa por policiais da Delegacia de Almirante Tamandaré, para onde foi encaminhada e permanece à disposição da Justiça.

Matéria do O Dia 

Continue lendo
Advertisement