Menino de 4 anos corta os pulsos em Goioerê por causa da Momo? - Mceara.com
Siga-nos nas redes sociais

Fake News

Menino de 4 anos corta os pulsos em Goioerê por causa da Momo?

É verdade que um menino de quatro anos de idade e morador de Goioerê tentou se matar por influência dos vídeos onde aparece a Momo?

A notícia surgiu em alguns sites e blogs – e também nas redes sociais – na segunda quinzena de março de 2019 e deixou muita gente preocupada. De acordo com o texto, um menino de quatro anos de idade teria tentado se matar e a sua tentativa de suicídio teria sido influenciada por vídeos onde aparece a Momo. O caso teria ocorrido em um bairro no município de Goioerê (PR) e o menino, além disso, teria agarrado o pescoço do pai com muita força, em uma tentativa de enforcá-lo!

A família, segundo o que diz na reportagem, teria descoberto que os vídeos de conteúdo infantil que o menino assistia eram interrompidos pela Boneca Momo, com cenas que ensinam a prática do suicídio às crianças.

Será que isso é verdade ou mentira?

O texto que se espalhou também nos grupos de WhatsApp não dá muito detalhes que tornariam mais fácil a verificação dos fatos nele relatados. É muito vago nos dados que realmente importam e bastante detalhista onde não precisava (e não deveria) ser.

Por exemplo, a matéria afirma que o fato teria ocorrido “há poucos dias”, mas não diz quando exatamente.

Mesmo o nome da criança sendo ocultada, outros nomes deveriam constar na matéria como, por exemplo, em qual hospital o menino foi atendido (se é que foi levado a um hospital), ou qual o nome do delegado que está cuidando do caso (sim, casos como esse geralmente envolvem a Polícia).

Já os detalhes de como o menino teria tentado se matar, recomenda-se ocultar ou omitir esses dados. Essa recomendação faz parte de um manual que foi elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para os jornalistas. A mídia é aconselhada a fazer uma cobertura cuidadosa ao noticiar o assunto e isso, segundo o que a OMS apurou, ajuda – dentre outras coisas – a não “dar ideias” para outras pessoas. A seguir, listamos 6 atos que os jornalistas não devem cometer ao cobrir casos de suicídios e mais 6 deveres desses profissionais:

6 instruções do que fazer quando cobrir suicídio

  1. Trabalhar em conjunto com autoridades de saúde na apresentação dos fatos.
  2. Referir-se aos casos de suicídio como “consumado”, não como “bem sucedido”.
  3. Apresentar somente dados relevantes, em páginas internas de veículos impressos.
  4. Destacar as alternativas ao suicídio.
  5. Fornecer informações sobre números de telefones e endereços de grupos de apoio e serviços onde se possa obter ajuda.
  6. Mostrar indicadores de risco e sinais de alerta sobre comportamento suicida.

6 instruções do que NÃO fazer ao cobrir suicídio

  1. Não publicar fotografias do falecido ou cartas suicidas.
  2. Não informar detalhes específicos do método utilizado.
  3. Não fornecer explicações simplistas.
  4. Não glorificar ou fazer sensacionalismo sobre o caso.
  5. Não usar estereótipos religiosos ou culturais.
  6. Não atribuir culpas.

Origem

Procuramos em jornais locais (em Goioerê) sobre o assunto e não encontramos nada a respeito. O site VVale, a exemplo de vários outros, publicou o texto da suposta tentativa de suicídio do garoto citando como fonte o site Massa News.

O site Massa News, por sua vez, apenas copiou o texto do site Goio News, que não cita nenhuma fonte e parece ser a fonte de todos os outros sites que publicaram a mesma notícia.

O site BHAZ, afirmou que uma menina se matou no Mato Grosso do Sul e que um garoto cortou o pulso superficialmente no Paraná, no dia 09 de março de 2019. No entanto, o site não dá mais detalhes sobre o fato e parece tê-lo usado apenas como exemplo.

O YouTube Kids está sendo invadido por vídeos da Momo ensinando o suicídio?

Segundo o que se espalhou na internet na segunda quinzena de março de 2019, a plataforma de vídeos infantis do YouTube estaria sendo invadido por vídeos aparentemente normais, mas com trechos inseridos neles mostrando a boneca Momo ensinando as crianças como cometer suicídio. O caso causou uma histeria coletiva, tornando o assunto um dos mais comentados no Brasil.

Conclusão

Não há provas de que um menino de quatro anos tenha cortado os pulsos em Goioerê e menos provas ainda de que o garoto (caso isso seja verdade) tenha sido influenciado pela Momo. Todavia, preste atenção nos seus filhos, pois não é uma simples boneca que pode levá-los ao suicídio, mas a depressão, que é uma doença séria e quem a tem precisa de tratamento!

Matéria do É-farsas

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *