conecte-se conosco

Mundo

Mãe encontra vídeo da filha sofrendo estupro coletivo no Facebook; Cenas cruéis e nojentas

Até o surgimento do vídeo nas redes, polícia não havia aceitado abrir uma investigação. Estupradores foram presos nesta semana

Publicados

em

Mãe encontra vídeo da filha sofrendo estupro coletivo no Facebook; Cenas cruéis e nojentas

Uma jovem de 16 anos acordou sendo estuprada por oito homens após dormir em uma festa em Providence, nos EUA, em dezembro do ano passado. Ao sair da festa, ela foi imediatamente à polícia, que se recusou a abrir uma investigação por falta de provas – mesmo com a jovem dando nomes de pessoas que estavam na festa.

Meses depois, sua mãe encontrou o vídeo de seu estupro coletivo no Facebook e a polícia, enfim, aceitou abrir investigação. As informações são do jornal The New York Times.

O vídeo foi encontrado pela mãe em março, que gravou a tela do computador e imediatamente enviou à polícia. “Foi aí que a investigação realmente começou”, disse o major David Lapatin, do Departamento de Polícia de Providence, em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira. “Conseguimos ver quem estava lá. Pudemos ver rostos. Pudemos ver o ato real, de agressão sexual de primeiro grau.”

Os oito jovens, com idades entre 18 e 24 anos, responsáveis pelo estupro, foram presos nesta semana.

“O incidente é horrível, devastador e perturbador em muitos níveis para esta jovem, para sua família e para esta comunidade”, disse o chefe Clements na entrevista coletiva.

O compartilhamento do vídeo no Facebook sugere que os estupradores estavam “orgulhosos do que fizeram e queriam mostrar isso para outros verem – e isso por si só é perturbador”, disse Vanessa Volz, diretora executiva da Sojourner House, em Providence, que fornece suporte e apoio para vítimas de violência sexual e suas famílias.

“É obviamente horrível e completamente inaceitável e acho muito indicativo de como vivemos em uma cultura de estupro”, concluiu.

O compartilhamento do vídeo no Facebook sugere que os estupradores estavam “orgulhosos do que fizeram e queriam mostrar isso para outros verem – e isso por si só é perturbador”, disse Vanessa Volz, diretora executiva da Sojourner House, em Providence, que fornece suporte e apoio para vítimas de violência sexual e suas famílias.

“É obviamente horrível e completamente inaceitável e acho muito indicativo de como ainda vivemos em uma cultura de estupro”, concluiu.

Propaganda