Homem é preso por viver como marido de menina de 12 anos - Mceara.com
Siga-nos nas redes sociais

Brasil

Homem é preso por viver como marido de menina de 12 anos

A mãe dela também foi presa, por permitir o relacionamento

Um homem de 32 anos foi preso nessa terça-feira (30) ao ser descoberto que ele vivia como marido de uma menina de apenas 12 anos. A mãe da adolescente, que sabia e autorizava a relação, também foi presa. O caso aconteceu na cidade de Colíder (675 km de Cuiabá).

O abuso foi descoberto depois que a Polícia Civil recebeu denúncias anônimas de que o suspeito já vivia maritalmente com a menina há aproximadamente dois meses – e com o consentimento da mãe dela.

Depois de investigar a denúncia, equipes da Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar e do Conselho Tutelar, foram até o sítio em que o suspeito morava com a adolescente e a resgataram.

O homem foi preso e, na delegacia de Colíder, confessou que vivia como marido da menina e, inclusive, manteve relação sexual com ela na noite anterior.

Ele foi preso por estupro de vulnerável e a mãe da adolescente também, pelo mesmo crime, já que ela sabia da situação de abusos sexuais que a filha vivia e consentia com o relacionamento. A pena para o crime pode chegar a 15 anos de prisão.

“A mãe tinha o dever de agir, mas não fez nada para cessar ou coibir as práticas sexuais proibidas”, disse o delegado Ruy Guilherme Peral da Silva, responsável pelo caso.

O delegado afirmou, ainda, que há denúncias de que a mãe da menina explorava sexualmente as filhas, oferecendo-as para relações sexuais clandestinas em troca de alimentos e outros bens. A Polícia Judiciária Civil investiga se as denúncias são reais.

Ruy Guilherme pediu a conversão da prisão do suspeito de flagrante para preventiva, para impedir que ele tente coagir a menina, ou volte a cometer os abusos sexuais. A mãe dela também segue presa, mas o delegado não pediu a prisão preventiva, ficando a liberdade dela a critério da Justiça.

Via O LIVRE

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *