Siga-nos nas redes sociais

Policia

Famílias expulsas de casa por facções temem voltar para os imóveis e serem mortas

Ameaçadas por facções, famílias recebem prazo para deixar seus apartamentos e irem embora

Publicados

em

Famílias expulsas de seus lares por ordem de traficantes de drogas e chefes de facções se recusam a voltar para os imóveis mesmo coma recente decisão da Justiça de realizar a reintegração de posse. O medo de represálias dos criminosos domina estas famílias. A pergunta que fazem é: “Quem vai garantir nossas vidas e impedir de sofrermos uma vingança dos criminosos?”

A aflição dos moradores veio junto com a decisão da Justiça, que acatou o pedido dos Ministérios Públicos Estadual e Federal do Ceará e, liminarmente, determinou que seja realizada a reintegração de posse das famílias expulsas de seus imóveis no Residencial José Euclides Ferreira Gomes, no bairro Jangurussu (Zona Sul de Fortaleza). O residencial foi financiado pelo programa federal “Minha Casa, Minha Vida”, através do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) em parceria com o governo do Estado do Ceará.

Nesta quarta-feira (24), o juiz de Direito, Jorge Luiz Girão Barreto, titular da Segunda Vara da Justiça Federal no Ceará, acatou os pedidos dos MPs e determinou de forma liminar (decisão judicial antecipada antes do julgamento do mérito da causa) a desocupação dos imóveis que foram invadidos no Jangurussu. Ele ressaltou na sua decisão que “a desocupação deve ocorrer sem causar danos a quaisquer de suas estruturas e equipamentos, tais como: portas, janelas, aparelhos sanitários etc, sob pena de responderem civil e criminalmente pelos danos”.

O gigantesco condomínio no bairro Jangurrus está dominado pelas facções criminosas

Força policial

No mesmo documento, o juiz determinou que o Governo do Estado e a Caixa Econômica Federal convoquem, imediatamente, os proprietários dos imóveis para que realizem a mudança.

O juiz determinou, ainda, que cópias dos mandados de reintegração de posse sejam enviadas à Superintendência da Polícia Federal e diretamente ao secretário da Segurança Pública e Defesa Social, delegado federal André Costa, para que disponibilizem “contingente policial suficiente para acompanhar o cumprimento dos mandados”.

Matéria do Jornalista Fernando Ribeiro

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policia

Mulher de 29 anos é morta com 12 golpes de faca; principal suspeito é o companheiro, no Ceará

O crime aconteceu no começo da noite

Publicados

em

Uma mulher de 29 anos de idade foi morta na cidade de Ocara, nesta sexta-feira, 24. A vítima foi encaminhada a uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos.

O POVO Online apurou que o crime aconteceu na localidade de Baixa Grande. O crime é caracterizado como feminicídio, o principal suspeito é o companheiro dela. Os dois estavam em um relacionamento há aproximadamente um mês. Ainda não há informações sobre a prisão do suspeito.

A vítima era moradora da Cidade e o crime chamou atenção pela crueldade. Ela foi morta com 12 golpes de faca. Ainda não há identificação completa da vítima.

O POVO

Continue lendo

Policia

Homem de 29 anos é executado a bala na cidade de Sobral, no Ceará

A Polícia Civil abriu um inquérito policial para apurar o crime

Publicados

em

Na tarde desta sexta-feira, dia 24, na rua Jardim das Flores, bairro Dom José 2, foi registrado um homicídio a bala. A vítima foi um homem identificado como Isac Pereira da Silva, 29 anos, natural de Sobral, residia na rua Monsenhor Domingos, bairro Dom José.

Um indivíduo em uma bicicleta, portando uma arma de fogo efetuou vários tiros contra a cabeça da vítima, que foi socorrida por populares para o Hospital Santa Casa, mas não resistiu e veio a óbito.

A Polícia Militar realizou diligências na tentativa de prender o autor do crime, mas até o fechamento desta matéria ninguém foi preso.

Sobral 24 hs

Continue lendo

Policia

Mistério no assassinato de mulher em Assaré que foi morta com golpes de foice no pescoço

Antônia foi morta numa vereda de acesso à sua casa em Assaré

Publicados

em

Um homicídio envolto em mistério foi registrado na noite desta quinta-feira na zona rural de Assaré. O corpo da agricultora Antônia Pereira de Oliveira, de 69 anos, que residia no Sítio Limão, foi encontrado em meio a escuridão de uma vereda de acesso à sua casa. Ela apresentava uma profunda perfuração no pescoço provavelmente originada por um golpe de foice e o cadáver foi encontrado por uma pessoa identificada apenas por “Cícero” quando passava em sua moto tratando de avisar aos familiares da vítima.

A polícia de Assaré foi informada, mas os militares estavam num procedimento em Crato quando viaturas de Antonina do Norte e Campos Sales estiveram no local com o Subtenente Cosmo, o Tenente Henrique, os Sargentos Matias e Nobre e o Soldado Rocha. O marido dela Antonio Alves de Oliveira do Carmo disse aos PMs que a mulher tinha saído para a casa de um vizinho e ao retornar pela vereda acabou sendo assassinada.

Já o vizinho confirmou para a polícia que Antonia esteve em sua casa e ficou surpreso ao tomar conhecimento do seu assassinato momentos após sua saída. De acordo com o companheiro da vítima, ela não tinha inimizades e não fazia a menor ideia sobre a autoria do crime, enquanto a polícia não observou indicativos de um latrocínio. O corpo de Antonina foi recolhido pelo rabecão a fim de ser necropsiado na Perícia Forense de Juazeiro.

Este foi o primeiro homicídio deste ano em Assaré e o último tinha ocorrido no dia 11 de dezembro quando Lindomar Caetano da Silva, de 26, que residia no bairro José Dodô foi morto a tiros e facadas. Já a última mulher assassinada em Assaré tinha sido no dia 21 de fevereiro de 2018 quando a acadêmica Juliana Alves de Oliveira, de 19 anos, morreu no IJF em Fortaleza. Ela teve o corpo incendiado pelo pai ao chegar embriagado em casa no bairro Coruja e o mesmo também faleceu.

Miséria

Continue lendo

Policia

Guerra de facções deixa rastro de sangue em Caucaia com 86 pessoas assassinadas em cinco meses

Corpos de mãe e filho, mortos a tiros e deixados na linha férrea do bairro Açude, em Caucaia, expõem a letalidade da guerra entre facções e as consequências nefastas para a população

Publicados

em

Nada menos, que 86 assassinatos já foram registrados no Município de Caucaia em 2019. As altas taxas de Crimes Violentos, Letais e Intencionais, os CVLIs (homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de óbito) se devem à guerra entre facções criminosas que disputam na bala o controle de bairros, favelas e outras comunidades. A segurança pública está comprometida em várias regiões da cidade e a matança parece estar longe de ser estancada.

Somente no mês de abril, Caucaia registrou 27 homicídios, quase um por dia. Até agora, foi o mês com maior índice de violência com perdas de vidas humanas de forma criminosa. O duelo diário nas ruas, becos e estradas entre membros das facções tem deixado a população refém da insegurança.

As facções Comando Vermelho (CV) e Guardiões do Estado (GDE) disputam, palmo a palmo, os territórios do tráfico de entorpecentes. Neste mês de maio, já foram registrados, ao menos, 16 assassinatos entre os dias 1º e 23. A maioria dos crimes permanece sem solução e, consequentemente, seus autores permanecem na impunidade.

Em comunidades como o Distrito de Jurema e os bairros São Miguel, Padre Júlio Maria, Metropolitano (Picuí), Cigana, Jandaiguaba, Itambé (I e II), Parque Leblon e Parque Soledade, a disputa de traficantes ligados às dias facções transformaram os moradores em reféns da violência e muitos são obrigados pelos criminosos a abandonarem suas casas, deixando para trás até mesmo a mobília. Saem somente com as roupas no corpo.

Mortos

Apesar de contar com um batalhão da Polícia Militar (o 12ºBPM), uma base avançada do Batalhão de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) e seis delegacias da Polícia Civil (Metropolitana/Defesa da Mulher/18ºDP/22ºDP/23ºDP e 31ºDP), Caucaia desponta como o segundo Município do Ceará com mais assassinatos em 2019 (86 no total), ficando atrás apenas de Fortaleza (com 266 homicídios entre janeiro e maio).

No intervalo de apenas 17 dias de maio, Caucaia foi palco, por exemplo, de três ocorrências de duplos homicídios. A primeira, no dia 2, quando Arthur Dalmo Barbosa Moreira, 28 anos; e Raimundo Miguel Barbosa Moreira, 33, foram executados a tiros no Parque Soledade.

No dia 9, dois homens foram mortos no Guajiru, sendo identificados como Antônio Ediglê Moreira de Sá, 23 anos; e Francisco Clemilson do Nascimento, 24. E na madrugada do último dia 17, uma tentativa de chacina deixou dois mortos em uma residência no bairro Cigana, sendo identificado até agora apenas um dos mortos, Sarion Cleiton de Sousa Pontes, 44 anos.

Já os moradores de Caucaia Jânio Vinícius da Costa, 27 anos (que residia no bairro São Miguel); e José Rodrigues Deodoro, 67 (que morava no bairro Itambé I), foram covardemente assassinados nos dias 1º e 7, respectivamente, por terem se recusado a obedecer as ordens das facções de abandonar suas casas.

Jornalista Fernando Ribeiro

Continue lendo

Policia

Suspeito de sequestrar, torturar e matar estudante é fuzilado na guerra de facções em Caucaia

José Anderson foi executado a tiros dois dias após ser solto da prisão por ordem da Justiça

Publicados

em

Mais u m capítulo da “guerra” de facções criminosas na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) foi registrado na noite desta quinta-feira (23). Um jovem apontado como suspeito do sequestro, tortura, assassinato, destruição e ocultação do corpo de um adolescente na semana passada, foi morto a tiros, supostamente, num “acerto de contas” entre membros das duas quadrilhas.

O crime ocorreu à noite, no bairro Jandaiguaba, onde José Anderson de Moraes dos Santos, 26 anos, o “Baiano”, foi executado com vários tiros disparados por desconhecidos. “Baiano” foi atingido com disparos na cabeça e teve morte imediata. No começo desta semana ele foi preso por policiais da Delegacia Metropolitana de Caucaia, suspeito de ter comando o seqüestro e morte do estudante José Gabriel da Silva Santos, 16, no bairro Itambé I.

O rapaz foi sequestrado quando seguia para a escola. Foi levado a um barraco localizado nas margens do Rio Itambé e torturado, sendo obrigado a dizer em um vídeo que estava “rasgando a camisa” da facção GDE (Guardiões do Estado) e passando para o lado do Comando Vermelho (CV). Logo depois, foi morto a golpes de facção e tiros e o corpo carbonizado. As cenas da tentativa de destruição do cadáver também foram gravadas e postadas em vídeo nas redes sociais.

Mesmo com a confissão do suspeito – gravada em vídeo – a Justiça da Comarca de Caucaia alegou não ter encontrado indícios ou provas suficientes da autoria e determinou a imediata soltura de “Baiano”. Ontem, dois adolescentes (irmãos) se apresentaram, de manhã, na delegacia e confessaram o crime. À noite, “Baiano” foi executado.

Facções em guerra

As mortes de José Anderson e de “Baiano” dão sequência à guerra das duas facções em Caucaia que, nestes primeiros cinco meses de 2019 já totalizaram cerca de 90 assassinatos. Bairros como Itambé I e II, Conjunto Metropolitano (Picuí), São Miguel, Jandaiguaba, Padre Júlio Maria, Parque Leblon, Parque Guadalajara e o Distrito de Jurema são as comunidades mais afetadas pelos constantes confrontos armados (tiroteios) e mortes entre os membros das duas facções.

Jornalista Fernando Ribeiro

Continue lendo
Publicidade