Siga-nos nas redes sociais

Brasil

Família registra queixa após jovem voltar de missão no Exército em surto psicótico

Felipe Carvalho foi para missão no 7º BEC e uma semana depois voltou para casa agitado, sem falar nem responder estímulos. Exército diz que ele apresentou ‘alteração comportamental’ e recebeu atendimento

Publicados

em

A família do soldado Felipe da Silva Carvalho, de 19 anos, tenta entender o que aconteceu com o rapaz durante os dias em que ficou sob os cuidados do Exército Brasileiro.

O rapaz foi levado para uma missão após se alistar no início deste mês e, em menos de dez dias, voltou para casa em surto psicótico. Agora, não fala, não anda e nem responde a estímulos.

O pai do soldado, o funcionário público Gilson Rocha, registrou um boletim de ocorrência e exige explicações do 7° Batalhão de Engenharia de Construção (7° BEC), em Rio Branco. Em foto tirada no dia em que ele foi para a missão, o rapaz estava feliz e saudável.

Ao G1, o comandante do 7° Batalhão de Engenharia de Construção, Flávio do Prado, explicou, por meio de nota, que o soldado entrou no Exército no dia 1º de março de 2019 e, com menos de uma semana de atividades, os colegas perceberam que ele passou a apresentar “algumas alterações em seu padrão comportamental”.

Ainda segundo a nota, o soldado foi encaminhado para acompanhamento com o médico do batalhão, onde recebeu toda assistência e depois foi encaminhado “para um hospital especializado e recomendando a convalescença domiciliar”.

O pai contou que o rapaz foi para missão na Quarta-feira de Cinzas (6), no domingo (10) a mãe foi visitá-lo e estava tudo normal. Na sexta (15), a família diz que um tenente do 7º BEC deixou o rapaz no trabalho da mãe dele afirmando que foram feitos testes e Carvalho não estava apto para o exercício militar.

“Parece uma criança, está travado, foi hospitalizado na UPA [Unidade de Pronto Atendimento] do Segundo Distrito, no domingo [16], esteve no Hosmac [Hospital de Saúde Mental do Acre] , agora estamos retornando. Meu filho está em estado lastimável e o 7º BEC simplesmente entregou ele”, lamentou o pai.

Possível surto

Ainda segundo Rocha, os médicos não sabem informar ao certo o que o jovem tem, mas suspeitam de um quadro de esquizofrenia. Um psiquiatra pediu um tempo para estudar o quadro do rapaz e dar um posicionamento para a família.

“Não sei o que houve com ele, não sei o que acontece com esses recrutas. Meu filho estava normal antes de ir para lá. Na semana inicial estava bem e foi para esse chamado na Quarta-feira de Cinzas e na sexta aconteceu isso”, lamentou.

O recruta esteve no Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac) nos dias 14, 17 e 18. Segundo a direção, ele apresentava um quadro de surto psicótico nos atendimentos emergenciais em que compareceu à unidade. Ainda segundo o hospital, inúmeras possibilidades podem desencadear um quadro como esse, como uso e abuso de álcool ou drogas e herança familiar.

O hospital informou que só pode passar as informações de atendimento emergencial durante o período em que ele foi atendido. Já a família diz que vai procurar atendimento para o jovem.

O funcionário público criticou também a forma como o rapaz foi devolvido para a família e como o assunto tem sido tratado pelo Exército. A família contratou uma advogada para exigir explicações oficiais do 7º BEC.

“Meu contato tem sido com dois oficiais, um tenente médico que foi na UPA me afrontar e intimidar e outro, o tenente Matos, que falou desse quadro e o levou no Hosmac. Disse que o médico plantonista não receitou nada e tiveram que dar algo no alojamento para ele se acalmar e não se acalmou”, complementou.

Sonho

O pai diz também que foi avisado que em 30 dias a família e o rapaz serão chamados para receber o certificado de dispensa. O Exército afirmou aos pais que abriu uma sindicância para apurar o que aconteceu ao jovem.

“Entregamos nosso filho para o Exército Brasileiro, era o sonho dele, estava animado e agora está assim. Não responde estímulos, não anda, parece um robô. Repetia que me ama e ama a mãe dele, mas agora não fala mais nada. Meu filho não é um coturno que foi jogado lá e devolvido”, criticou.

Emocionado, Gilson Rocha contou que o filho estava no segundo período do curso de educação física, mas decidiu trancar o curso para se alistar. O pai acrescentou que Felipe nunca teve um surto assim, é um rapaz normal, tem vários amigos e é caseiro.

“Alegam que pode estar desenvolvendo um quadro esquizofrênico, mas estava a cargo do Exército e não poderia ter sido devolvido dessa forma. Foram no trabalho da mãe dele, exposto a todos e, inclusive, ela é vigilante e teve até problemas no trabalho. Condenamos a forma que deixaram, forma desumana”, desabafou.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Mulher grávida tenta salvar filho em represa e os dois acabam mortos

Uma mulher de 24 anos e seu filho de cinco morreram afogados no final da tarde de ontem em Itaí, município a cerca de 300 quilômetros de São Paulo

Publicados

em

Camila Bianca Pereira da Silva, grávida de sete meses, e o filho Erick Miguel da Silva Alves passavam a tarde na represa de Jurumirim. O menino e seu padrasto brincavam, quando a criança caiu em um buraco de maior profundidade.

Camila então saltou à água para resgatá-lo, mas não teve sucesso. O menino até foi retirado da represa e passou por primeiros socorros realizados por pessoas que estavam no local. Já Camila só foi retirada da água apenas quando o Corpo de Bombeiros chegou ao local, por volta das 17h de ontem. Segundo a corporação, ela já estava sem pulso quando os bombeiros chegaram, mas ainda em estado considerado reversível.

Camila e Erick foram levados para o pronto-socorro de Avaré (SP). No caminho, os bombeiros tentaram uma reanimação cardiopulmonar, mas, um pouco mais tarde, os dois morreram no hospital.

Com quase 500 quilômetros quadrados de área inundada, a represa de Jurumirim banha dez municípios. É uma das maiores do estado de São Paulo e cartão postal da cidade de Avaré. Segundo os Bombeiros, a represa não possui uma grande profundidade, mas têm valas e calhas mais fundas. Foi numa dessas valas que Erick caiu e começou a se afogar.

Continue lendo

Brasil

Pai e filho que fariam surpresa para avó na Páscoa morrem em acidente; Veja o vídeo

Homem saiu de Santa Catarina com seus quatro filhos para passar feriado com familiares em BH, mas caminhão caiu de barranco próximo ao destino

Publicados

em

Planejando fazer uma surpresa no feriado de Páscoa e levar seus quatro filhos para conhecerem os familiares que vivem em Belo Horizonte, um caminhoneiro de Santa Catarina perdeu o controle do veículo e sofreu um acidente quando chegava perto de seu destino.

Luís Martinho de Santos Pacheco, de 26 anos, e um de seus filhos, de apenas 5 anos, morreram depois que o caminhão caiu de um barranco no bairro Ribeiro de Abreu, região Nordeste de Belo Horizonte. As outras três crianças tiveram ferimentos leves e foram encaminhadas para o Hospital de Pronto-Socorro João 23.

Segundo testemunhas, o caminhão desceu uma ladeira desgovernado depois de perder os freios, desceu um barranco e atingiu dois barracões, que estavam desocupados. O veículo ficou destruído e a carga de sabão em pó ficou espalhada no local.

José Antônio de Assis, que é casado com a avó do motorista disse que a família preparava uma recepção especial para as visitas.

– A gente estava muito feliz porque iríamos conhecer as crianças. Quando eu fiquei sabendo que o caminhão tinha placa de Santa Catarina eu sabia que só poderia ter sido a fatalidade com ele.

Com ajuda de moradores, os bombeiros precisaram cortar a lataria do caminhão para retirar os corpos e os três sobreviventes.

“As crianças que sobreviveram, milagrosamente, saíram sem lesões. Apenas escoriações superficiais e arranhões. Segundo os familiares, ele estava fazendo um frete com essa carga e faria uma surpresa trazendo as crianças para conhecerem os parentes”, afirmou o tenente do Corpo de Bombeiros Júlio Brant.

Continue lendo

Brasil

Homem abusa sexualmente de cadela porque a esposa estava menstruada; Veja o vídeo

O animal foi levado para a Dema e agora precisa de cuidados com urgência

Publicados

em

Uma cadela foi abusada sexualmente pelo tutor, nesta quinta-feira (18), no bairro do Barreiro, em Belém. Ele foi identificado como Raimundo Nonato Ferreira de Nazaré e, em depoimento à polícia, confessou o crime e disse que fez o ato porque a esposa estava menstruada.

Uma equipe da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema) recebeu a denúncia e foi até a casa do acusado, localizada na Passagem Stélio Maroja, no bairro do Barreiro, em Belém. Em seguida, ele foi encaminhado para a delegacia, junto com o animal, onde confessou o crime. Ele alegou que a esposa não sabia do abuso sexual.

De acordo com informações da Polícia Civil, o fato ocorreu na última segunda-feira (15), mas a denúncia foi feita nesta quinta. Os policiais civis que estavam de plantão receberam a denúncia e foram até Pronto Socorro da 14 de Março, local onde o acusado se encontrava e o encaminharam até a Dema para apresentação e adoção das providências cabíveis

A Polícia Civil informou ainda que foi requisitada perícia ao Centro de Perícia Renato Chaves para o acusado, que nesta quinta-feira apresentava uma coloração estranha em sua genitália.

Raquel Viana, responsável pelo abrigo AuFamily, que resgatou o animal, desabafou sobre o caso. “Eu peguei o animal e levei para a clínica, onde ela vai passar por exames. Ela também será encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para passar por perícia, mas enquanto isso o homem já foi liberado”.

“Ela ficará aos nossos cuidados até decisão judicial. Ele confessou o crime e nada acontecerá com esse ‘vagabundo’, porque nesse país o crime compensa. Infelizmente eu não posso expor ele”, completa. A cadela será batizada de Sol.

DOL

Continue lendo

Brasil

Homem é preso após usar uma batata-doce para simular arma em assalto

O bandido conseguiu levar a vítima até um matagal, onde ele o agrediu com uma barra de ferro, mas a vítima percebeu o simulacro e conseguiu reagir

Publicados

em

Um homem de 29 anos foi preso após tentar roubar um rapaz na noite dessa segunda-feira (15), em um bairro da parte alta de Maceió, capital de Alagoas. Até aí, nada de diferente. O inusitado foi que o criminoso usou uma batata-doce para simular uma arma de fogo.

Segundo informações do portal G1, o bandido conseguiu levar a vítima até um matagal, onde ele o agrediu com uma barra de ferro. Percebendo que, na verdade, o objeto que o homem usou para anunciar o assalto não era uma arma de fogo, o rapaz reagiu e imobilizou o criminoso.

“Percebi que o assaltante estava me batendo mesmo com uma arma na cintura e desconfiei. Então decidi imobilizá-lo, arrastei ele com uma chave de braço e pedi ajuda a quem passava pela pista”, contou a vítima em entrevista à TV Pajuçara.

O criminoso acabou sendo preso e levado para a Central de Flagrantes I da capital alagoana, onde foi autuado por tentativa de roubo.

Continue lendo

Brasil

Pai que estuprou e engravidou filha de 11 anos, jogou feto no lixo após aborto; Assista

A família disse que a menina estava no 5º mês de gravidez e sofreu um aborto espontâneo. Pai confessou estupro e Polícia Civil Investiga o caso

Publicados

em

Um pai foi preso na manhã desta quarta-feira (17) suspeito de ter estuprado e engravidado a própria filha, de 11 anos, no Bairro Residencial Coxipó, em Cuiabá. A criança sofreu um aborto, supostamente espontâneo, e foi internada em um hospital. Ela estava grávida de cinco meses.

De acordo informações do 9º Batalhão da Polícia Militar, o suspeito, de 39 anos, confessou o crime.

O caso veio à tona depois que a mãe percebeu mudanças no corpo da filha e percebeu o crescimento da barriga da menina.

A polícia encontrou apenas a mãe na casa onde ocorreu a denúncia. O aborto teria ocorrido na residência e o pai retirou o bebê do local. Ele teria colocado em uma sacola e enterrado.

Familiares da menina a levaram para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Pascoal Ramos. O suspeito confessou que a estuprava desde 2017.

O Conselho Tutelar foi chamado e acompanhou a criança. A menina foi transferida para o Hospital Universitário Júlio Müller, em Cuiabá, onde ela passa por atendimento.

O pai dela foi levado à Central de Flagrantes. O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica).

Continue lendo

Recomendamos

Publicidade