conecte-se conosco

Policia

Em apenas seis dias de julho, 51 pessoas foram mortas no Ceará

A guerra de facções não dá trégua na Grande Fortaleza

Publicados

em

Cinquenta e uma pessoas foram assassinadas no Ceará somente nos primeiros seis dias do mês de julho. Somente nesta segunda-feira (6), oito pessoas acabaram mortas na Grande Fortaleza e destas, apenas duas foram identificadas pelas autoridades da Segurança Pública.

Os outros seis corpos deram entrada na Coordenadoria de Medicina Legal da Perícia Forense do Estado (Comel/Pefoce) na condição de indigentes. Os oito corpos apresentavam juntos de tiros de armas de diversos calibres.

A matança nas ruas da Grande Fortaleza desde o começo do mês deixou 20 vítimas na Capital e mais 16 nas cidades da Região Metropolitana (RMF), enquanto no interior do estado foram registrados mais 25 assassinatos. A média foi de um crime de morte no estado a cada três horas, ou oito por dia, neste intervalo entre os dias 1º e 6 de julho. Entre os casos estão três duplos homicídios e duas tentativas de chacinas.

Nas últimas 24 horas, a Grande Fortaleza apresentou um alto índice de violência com oito pessoas mortas em intervalos rápidos entre um caso e outro. Na Capital, seis pessoas foram assassinadas nos bairros Canindezinho, Planalto Ayrton Senna, Bom Jardim, Barra do Ceará, Itaperi e Granja Lisboa. Na RMF, dois assassinatos ocorreram em menos de 12 horas na cidade de Pacajus, ambos praticados a tiros.

Somente no fim de semana, entre a sexta-feira (3) e a noite de domingo (5), 31 homicídios ocorreram no Ceará. Em Fortaleza, foram sete casos, registrados nos bairros Passaré, Floresta, Serrinha, Planalto Pici, Bonsucesso, Montese e Vicente Pinzón.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, nove pessoas foram mortas nos seguintes Municípios: Itaitinga (2), Guaiúba (2), Caucaia, Maracanaú, Maranguape, Pacajus e Aquiraz.

Já no Interior, a violência armada deixou 15 mortos nos seguintes Municípios: Limoeiro do Norte (2), Juazeiro do Norte (2), Itapajé, Capistrano, Sobral, Umirim, São João do Jaguaribe, Jaguaruana, Baturité, Itapipoca, Ipaumirim, Quixadá e Tabuleiro do Norte.

Entre os 51 assassinatos em seis dias, dois casos de duplos homicídios deixaram mortas mais de uma pessoa de uma mesma família. Em ambos, as vítimas eram irmãs.

O primeiro crime aconteceu na madrugada do dia 1º de julho, no Distrito de Amanari, em Maranguape, na RMF, onde bandidos invadiram uma residência e mataram, a tiros, os irmãos Carlos Eduardo e Carlos Rafael Cassiano Cavalcante, de 16 e 18 anos, respectivamente. Durante o crime, a mãe dos dois rapazes também foi baleada e permanece hospitalizada em Fortaleza com escolta policial. Trata-se de uma ex-presidiária.

Na noite da última sexta-feira (3), uma tentativa de chacina em um campo de futebol, na comunidade Barrocão, no Município de Itaitinga, terminou na morte dos irmãos Jair e Josivan Gregório do Nascimento, de 28 e 31 anos, respectivamente.

Nos dois casos, a Polícia suspeita de mortes provocadas pela guerra entre facções criminosas.

Jornalista Fernando Ribeiro

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *