'Ela mereceu morrer', diz sobrinho que matou e arrancou o coração da tia - Mceara.com
Siga-nos nas redes sociais

Brasil

‘Ela mereceu morrer’, diz sobrinho que matou e arrancou o coração da tia

Antes de matar tia, homem também tentou executar a própria mãe

Após depor por mais de 4h na Polícia Civil de Sorriso (420 km ao Norte de Cuiabá), Lumar Costa da Silva, 28, acusado de matar e arrancar o coração da tia, disse à imprensa que não se arrepende do crime, já que a vítima teria merecido morrer.

Mais sóbrio desde a sua prisão, no dia 2, falou com clareza sobre a brutalidade do homicídio que chocou a população da cidade, afirmou ouvir vozes do “universo”, atacou a mãe, a quem definiu como um “demônio” e fez declarações homofóbicas.

“Eu tenho a declarar que eu matei ela mesmo e não arrependo (…) ela mereceu morrer. Ela ficava me difamando, me chamando de ‘veado’, drogado e arrumando confusão no bairro. Eu só queria paz”, disse Lumar.

O rapaz confessou ainda que no dia do crime fez uso de LSD, droga sintética conhecida por causar alucinações e mudanças de humor. O ácido, como também é conhecido, é popularmente usada em festas de música eletrônica.

“Não planejei, foi acontecendo. O universo falava comigo, pedindo para eu matar ela, matar ela logo. Eu sou normal, sou da paz”, disse o rapaz, que sorria entre as declarações. Questiona sobre a relação com o pai, ele disse que o ama.

Já com a mãe, ele foi direto e chegou a se emocionar ao contar que sofria agressões quando criança. “Minha mãe é um demônio, aquela praga. Me batia, espancava e enforcava quando eu era pequeno. Eu briguei com ela antes de vir para Sorriso, eu queria matar aquela desgraçada por tudo que ela fez comigo”.

Conforme noticiado pelo , Lumar teria tentado matar a mãe dias antes de se mudar para Sorriso. Segundo ele, a briga começou em um bar e a mãe teria ameaçado pegar um facão, foi quando, segundo ele mesmo, “surtou”.

Libertar o ódio

No dia do crime, em que pegou o carro da sua prima e bateu contra um transformador da central de energia da cidade.

“Eu queria apagar toda a luz, queria explodir a estação. Queria liberar os presos da cadeia, libertar o ódio”.

Sobre as declarações de que estaria apaixonado pela prima, uma menina de 7 anos, afirmou que sim, mas que não tem conotação sexual.

“Ela é uma menina apaixonante, você se encantaria por ela, uma fofa (…) queria levar ela para a revolução, para aprender”.

No final da entrevista, ainda disse que gays e pessoas trans são “a pior praga que existe na face da terra”.

Sobre o seu destino, declarou que “seja o que Deus, o universo, quiser”.

Autuado

A Justiça de Sorriso já converteu a prisão em flagrante de Lumar para a preventiva. Ele foi autuado por homicídio qualificado por motivo fútil e pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *