Siga-nos nas redes sociais

Mundo

Bebê quase morre com meningite após sentar em carrinho de supermercado; médicos disseram ser apenas “virose”!

Vivienne Wardrop, de Queensland, na Austrália, disse que seu bebê Logan de apenas 10 meses contraiu meningite e infecção por salmonella após sentá-lo em um carrinho de compras mal higienizado de um supermercado

Publicados

em

A mãe afirmou que 24 horas depois de levar o filho no estabelecimento, ele desenvolveu um quadro grave de diarreia, vômito e febre alta. A criança passou 10 dias internada, oito dos quais em terapia intensiva. Wardrop, 37, que é mãe de cinco filhos, não culpou o supermercado pela condição do filho. No entanto, decidiu usar a experiência para aumentar a conscientização sobre o problema.

Quase 24 horas depois de sentar no carrinho, Logan começou a apresentar sintomas problemáticos. Em um ponto, sua diarreia estava tão forte que ele começou a evacuar sangue. “Na manhã de quarta-feira eu o tirei da cama e vi que estava com uma diarreia muito ruim”, disse ela ao Daily Mail. “Ele havia sujado suas roupas e as roupas da cama. Dei uma mamadeira e ele vomitou, e isso continuou acontecendo durante todo o dia”.

Quando levou a criança ao hospital, um médico lhe disse que era apenas virose. No entanto, na madrugada do dia seguinte, Logan estava muito desidratado e novamente precisou ser levado a um pronto-socorro. Os médicos verificaram que sua frequência cardíaca era de cerca de 200-220 batimentos por minuto (BPM normal é de 80-140).

Após uma série de exames, diagnosticaram-no com adenovírus, rotavírus, salmonella e meningite. “Estávamos com medo de perdê-lo. Não parecia que os médicos conseguiriam curá-lo porque não sabiam o que havia de errado com ele”, disse a mãe.

“Eu nunca tinha visto uma criança tão doente, e tenho cinco filhos. Ele perdeu 10% do peso corporal em três dias e passou a ficar inchado porque a água não entrava nas células – era aterrorizante. Eles disseram que era muito incomum ser atingido por todos esses vírus de uma só vez”.

Após ser liberado, Logan ainda precisou de algumas semanas para conseguir uma recuperação completa, uma vez que a união da salmonella e rotavírus fizeram com que seu intestino fosse completamente despojado de conteúdo.

Segundo a mãe, após conversar com os médicos sobre o histórico do filho nas últimas semanas que antecederam o problema, ela descobriu a causa. No entanto, decidiu não entrar com um processo judicial ou denunciar o supermercado – mas quis divulgar a história para alertar mães ao redor do mundo.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

“Levem e deixe ele ser morto”, palavras duras de uma mãe estuprada por um filho esquizofrênico

A mulher que denunciou seu filho exigiu que as autoridades o levassem embora

Publicados

em

Há poucos dias, a história de uma mulher de Salta, na Argentina, que foi abusada por seu próprio filho de 22 anos, foi denunciada e relatada às autoridades por causa dessa situação .

Neste fim de semana, o jornal ‘Que Pasa Salta’ entrevistou Patricia Ortega, 41 anos, e disse que seu filho não só abusou dela , mas também a enforcou e quase a estrangulou.

De acordo com a mãe aflita, seu filho sofre de esquizofrenia psicótica, comportamento que não foi detectado até a adolescência.

“Eu tenho lutado com ele desde que ele tinha sete anos de idade, porque ele sempre mostrou mudanças muito drásticas de atitude “

Ao longo dos anos, Patricia explicou que seu filho esquizofrênico não era apenas mais agressivo, mas também se viciou em drogas desde os dez anos de idade, depois que seu pai começou a lhe dar doses para acalmá-lo; em sua fase de puberdade, ele era violento com as mulheres .

De acordo com El Tribuno, o dia em que Patricia foi brutalmente abusada pelo filho, ela descobriu que era tudo, menos o homem que ela criou.

“Eu estava na cozinha quando ele de repente veio, me bateu, me levou para o meu quarto e me abusou lá. Ele me enforcou com os braços. Se eu não desmaiasse, ia morrer “

No dia seguinte ao ataque, a mulher indicou que seu filho estava muito calmo e que ele até trouxe chocolates para comer juntos. Depois desse ataque sexual , ela pediu apoio às autoridades para que seu filho fosse levado a um centro psiquiátrico.

“Pedi ajuda para ser internado em um hospital psiquiátrico, mas eles nunca quiseram levá-lo. Eu tinha sete ordens judiciais para ele ser levado e quando o fizeram, colocaram-no com mulheres jovens; Eu tive que tirá-lo de lá porque eu tinha medo que ele atacasse as garotas naquele lugar “

Por outro lado, quando perguntada sobre o que ela quer que eles façam com seu filho, ela apontou que “tudo é possível”, mesmo que eles o matem “pelos doentes “.

“A verdade é que para mim, meu filho morre ou em um daqueles que o matam; Ele está doente e isso nunca mudará nele “

O jovem tem pelo menos cinco antecedentes criminais por crimes sexuais e mais um por tentativa de homicídio; No entanto, as autoridades de Salta ainda não têm ordem judicial para serem presas ou colocadas em um hospital psiquiátrico .

Devido ao seu estado de saúde mental, pode ser considerado intacto.

Continue lendo

Mundo

Com depressão, mãe mata o filho de 5 anos estrangulado e tira sua própria vida em seguida

Diferentes meios de comunicação informaram que uma mulher de 30 anos supostamente assassinou seu filho, cinco anos de idade , e depois se matou em seu apartamento

Publicados

em

De acordo com primeiros relatos, a mãe, original de Puebla, no México, estrangulou seu filho menor em seu apartamento na unidade de alojamento Coyol, a oeste do porto de Veracruz.

Era domingo, quando a família decidiu ir para o endereço, preocupado por não saber nada sobre a mulher por vários dias por volta de 11h.

No local eles encontram Sherezada M. de 30 anos, que estava com uma corda em seu pescoço na cozinha enquanto seu filho Luis C. foi encontrado em uma das cadeiras, coberto com um cobertor e estrangulamento marcas.

Depois de testemunhar a cena, os familiares relataram o incidente às autoridades, para que os membros das polícias estaduais Veracruz fossem ao local para ver a cena. Ao chegar eles isolaram a área e iniciou os procedimentos correspondentes para determinar se era realmente um homicídio e um suicídio .

Segundo a versão da família de Occupy, a mulher sofreu de depressão por vários meses, decorrentes de problemas pessoais.

Continue lendo

Mundo

Homem invade mesquitas e mata mais de 50 pessoas; atirador transmitiu ao vivo na internet, assista

Pelo menos quatro pessoas teriam participado das ações, sendo três homens e uma mulher

Publicados

em

Mais de 50 pessoas morreram em dois ataques a mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, nesta sexta-feira (15) por volta das 13h30 (horário local).

Um detalhe que chamou a atenção é que um dos atiradores transmitiu ao vivo o ataque na internet. As imagens são aterrorizantes. Nas imagens é possível ver ele em um carro com fuzis e uma calibre 12. Ele estaciona ao lado da mesquita, e ao chegar na porta já começa a atirar. No momento do ataque havia 300 pessoas na mesquita. Ele atira em todos os fiéis que encontra pela frente.

Após alguns minutos ele vai até o estacionamento e retorna para a mesquita onde atira várias vezes em fiéis que já estavam mortos. Grande parte dos que estavam na mesquita conseguiu fugir pulando pelas janelas. A ação na mesquita durou seis minutos. Ele então retorna para o carro e ainda atira em uma mulher na rua.

Ele foge pela cidade, e a transmissão é encerrada. Após alguns minutos o atirador foi preso pela polícia local após perseguição policial.

Um dos atiradores foi identificado por Brenton Tarrant, 28 anos.

Na outra ação, o outro atirador foi parado por um segurança armado e houve confronto.

Ainda não se sabe quantas pessoas ficaram feridas, já que houve feridos registrados em vários pontos da cidade, inclusive um policial foi baleado.

O grupo deixou um manifesto na internet com 73 páginas, explicando os motivos e tentando justificar a ação. No manifesto é possível notar um ódio extremo à miscigenação.

PARA VER O VÌDEO SEM A CENSURA CLIQUE AQUI

Continue lendo

Mundo

Mulher é presa por abusar de garotos de 13 e outro de 14 anos; fotos eram envidas pelo WhatsApp

Os menores asseguraram que a mulher os bebia várias vezes

Publicados

em

Neste fim de semana uma mulher de 38 anos foi denunciada às autoridades de Santiago del Estero, Argentina, depois de ser acusada de ser uma predadora sexual por abusar de dois menores.

Segundo El Liberal, a mulher acusada de abuso sexual duplo, ela teria solicitou constantemente a ajuda dos dois meninos, um de treze e quatorze anos, para cumprir algumas obrigações, como fazer compras ou carregar alguns objetos.

Sábado o escândalo veio à tona quando a irmã mais velha de menores encontrou um do celular desbloqueado e em seguida, ouviu uma mensagem de áudio WhatsApp em que a acusada pediu ajuda com mensagens obscenas e obscenidade.

As crianças explicaram à irmã que a vizinha chamava separadamente depois de ajudá-la com as coisas de que ela precisava, ela agradecia oferecendo-lhes algo para beber.

Os meninos explicaram que depois de conversar com ela e beber, eles se sentiam tontos e a mulher aproveitava essa situação para apalpá-los, tirar suas roupas e fazer sexo com eles.

Em outras ocasiões, a mulher parecia nua e as crianças não queriam participar do encontro sexual, fato que incomodava a mulher e batia neles sem antes tocá-las.

Uma vez que os materiais e testemunhos foram verificados, as autoridades locais emitiram um mandado de prisão contra essa mulher.

A mulher enfrenta duas acusações de abuso sexual e mais duas por abuso sexual infantil, crimes que poderiam pagar uma sentença de mais de quinze anos de prisão.

Continue lendo

Mundo

Mãe anda com o cadáver da filha depois de ir a três hospitais e não ser atendida; Assista

Uma mãe contou como foram as últimas horas de uma jovem com desnutrição severa. Imagens sensíveis

Publicados

em

As condições dramáticas experimentadas pelos venezuelanos são acentuadas pelo apagão maciço que afeta quase todo o país. Na saúde, os casos mais ressonantes são aqueles de pacientes que necessitam de diálise, mas a angústia invade as salas de emergência, que não atendem ao público.

Domingo, depois de passar a terceira noite na escuridão, as redes sociais viralizaram as imagens chocantes de uma mãe com o corpo de sua filha em seus braços nas ruas de Valência, no estado de Carabobo. Embora a vítima tivesse 19 anos, sua extrema desnutrição levou-a a pesar apenas 10 quilos, de modo que sua mãe a carregou sem muito esforço.

“O médico me disse que eles terminaram sua jornada, pois não há luz, então eu ia levá-la para Las Lomas “, a mulher começa a narrar. A imagem piorou mais e mais. “Ela começou a arrotar e arrotar, e de repente ela endureceu, e eu corri de volta para minha casa para procurar por ela (outra) filha”, disse ela.

Com a ajuda das autoridades, ela veio para outro hospital, mas a sorte era a mesma. “A polícia me deixou na porta e o médico me disse que eles não podem comparecer, não há nada”, disse ele.

Sem poder fazer nada, a mãe viu a filha morre em seu braços.

Jornalistas locais relatam um profundo fedor nos necrotérios, devido à falta de refrigeração dos corpos.

Sob a gestão de Nicolas Maduro, Venezuela caiu na pior crise de sua história moderna, com falta de medicamentos marcados e hiperinflação que este ano iria subir para 10.000.000%, de acordo com o FMI, o que forçou o êxodo de 2,7 milhões de venezuelanos desde 2015, segundo a ONU.

O diretor da ONG Codevida alertou que o número de mortes pode ser aumentado pelas complicações da insuficiência renal. “Temos conseguido pacientes edematosas devido à falta de diálise. Em seguida, vem o inchaço das extremidades, o que poderia causar parada cardíaca e outras complicações que podem levar à morte de mais de 10.200 pessoas em diálise no país”, disse ele .

Continue lendo
Publicidade