conecte-se conosco

Policia

Assaltantes cearenses “Irmãos Pipocas”, de Quixadá, morrem em confronto com a PM em Tocantins

“Neudo Pipoca” tombou na troca de tiros com a PM depois de assaltar banco e atacar carro-forte

Publicados

em

Mceara 2019 11 02 14.05.23 01

Dois bandidos cearenses, irmãos, envolvidos em assaltos a bancos, ataques a carros-fortes e outros crimes em vários estados, morreram, nesta sexta-feira (1º), em confronto com a Polícia no interior de Tocantins. As informações é do Jornalista Fernando Ribeiro.

Eles eram membros de um clã de criminosos conhecido como “Irmãos Pipocas”, da cidade de Quixadá (a 154Km de Fortaleza). Os corpos de Elineudo Oliveira Silva, o “Neudo Pipoca”, 43 anos; e seu irmão Elineuton Oliveira Silva, 41, foram encontrados em um matagal após uma intensa troca de tiros com a PM. Um militar também morreu no tiroteio.

De acordo com as autoridades da Segurança Pública de Tocantins, o confronto entre bandidos e policiais ocorreu na madrugada de sexta-feira (1º), na Região do Pequizeiro. O militar morto era o sargento Deusdete Américo Gama, de 53 anos, cujo corpo será velado, neste sábado (2), no Quartel do Comando Geral (QCG) da Polícia Militar, em Palmas.

O tiroteio aconteceu quando a PM caçava a quadrilha suspeita de explodir um posto de atendimento bancário na região de Pequizeiro, na última quinta-feira (31), e tentar atacar um carro-forte. Em dois dias, confrontos entre a PM e a quadrilha naquela região deixaram cinco mortos, sendo o sargento Gama e quatro ladrões, entre eles, os irmãos “Pipocas”. O policial militar chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital da cidade de Araguacema.

Tocantins 1

Sargento Gama, da PM de Tocantins, morreu na troca de tiros com a quadrilha dos “Pipocas”

Clima tenso

A tensão na região central do estado de Tocantis iniciou na semana passada quando criminosos armados se envolveram em dois acidentes de trânsito ao tentar roubar um carro-forte na rodovia entre as cidades de Araguacema e Pequizeiro. Na última quinta-feira (31), durante as buscas por esses criminosos, ocorreu um confronto armado entre os suspeitos e a Polícia Militar. Dois homens foram baleados e morreram.

Já na madrugada desta sexta-feira (1º) ocorreu um ataque a um posto de atendimento de um banco. Durante as buscas pelos suspeitos, houve um novo confronto e o sargento Américo Gama, de 53 anos, acabou sendo baleado pelos criminosos e morreu a caminho do hospital. Logo depois, os corpos dos irmãos “Pipocas” foram encontrado na mata.

Quem são os “Pipocas”

Os irmãos “Pipocas” são bastante conhecidos na região entre Quixadá e Morada Nova. Temidos nas duas cidades, são envolvidos em diversos crimes como assaltos a bancos e carros-fortes no Ceará e em diversos estados brasileiros, principalmente do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Com o dinheiro oriundo dos roubos a bancos e carros-fortes, além de seqüestros, os “Pipocas” se tornaram ricos e possuem vários imóveis, fazendas, motéis e postos de combustíveis no interior do Ceará.

Da vida de crimes, os “Pipocas” também enveredaram pelo caminho da política no Ceará, elegendo amigos e se tornando fortes (e temidos) na região de Quixadá, onde recebem também apoio de um deputado estadual sempre visto com eles.

Apontado como chefe da “Quadrilha dos Pipoca“, “Elineudo Pipoca” e outros quatro integrantes do bando tiveram habeas corpus concedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão homologada, no dia 8 de março de 2017 e publicada no Diário da Justiça do dia 14. O grupo foi preso em janeiro de 2015, suspeito de atacar um comboio composto de três carros-fortes no município de Russas (CE). Além desta acusação, os “Pipoca’ teriam atuado contra instituições financeiras também nos Estados do Maranhão, Rio Grande do Norte, Pará e Mato Grosso.

Os outros integrantes da quadrilha identificados pela Polícia são Raimundo Nonato Rodrigues da Silva, o “Raimundo da Vertente”, 34 anos; Paulo Sérgio de Oliveira, 33; Ângelo Márcio Rodrigues, 38, e Antônio Ricardo Germano de Lima, o “Ricardo da Vila Rica”,31.