conecte-se conosco

Policia

Adolescente é assassinado e pânico se alastra em Pacajus com toque de recolher

Ruas ficaram desertas em Pacajus na noite desta segunda-feira Kauã de Sousa Reis, 15 anos, foi morto a tiros dentro da loja da TUF

Publicados

em

Adolescente é assassinado e pânico se alastra em Pacajus com toque de recolher

Subiu para 66 o número de pessoas assassinadas na cidade de Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza (a 49Km de Fortaleza). O mais recente crime de morte aconteceu na tarde desta segunda-feira (21), dentro de uma loja de uma torcida organizada.

Ali, um adolescente de apenas 15 anos foi fuzilado com vários tiros de pistola na cabeça. O município vive clima de terror por conta da guerra de facções, incluindo toque de recolher à noite em vários bairros.

O crime de morte ocorreu dentro da loja da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF), que foi invadida por dois homens armados com pistolas. Eles mataram com vários tiros na cabeça o adolescente identificado como Kauã de Sousa Reis, 15. Nas paredes da loja ficaram várias marcas dos disparos. Funcionários da loja se esconderam no banheiro para não serem também mortos. Os assassinos teriam fugido em uma motocicleta.

Com a morte de Kauã, já são seis homicídios em apenas quatro dias naquela cidade. Na última quinta-feira (17), uma tentativa de chacina deixou três mortos e um ferido no bairro Tucum. No sábado (19), um corpo foi encontrado enterrado em cova rasa na localidade de Alto Vermelho, nas proximidades do Canal do Trabalhador.

Terror

A cidade de Pacajus está com reforço policial desde o último fim de semana, por determinação do novo Comando-Geral da Polícia Militar. Mesmo assim, uma onda de pânico se espalhou ali com novas ameaças feitas por bandidos de duas facções. As pessoas estão intimidadas dentro de casa, após a ordem para o toque de recolher a partir das 19 horas.

Os moradores dos bairros Tucum, Limoeiro, Pedra Branca, Buriti dos Esmeros e de outras comunidades periféricas temem novas execuções sumárias nas próximas horas.

Jornalista Fernando Ribeiro

Propaganda