Connect with us

Brasil

Acusado de matar líderes da facção criminosa PCC é preso em São Paulo

Em setembro, “Andrezinho da Baixada” e os outros oito foragidos tiveram os nomes inseridos na lista de procurados pela Interpol. O crime aconteceu no início do ano na Grande Fortaleza

Published

on

Foi preso na tarde desta quinta-feira (25) um homem acusado no Ceará de participação direta no assassinato de dois líderes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). A informação foi dada com exclusividade pelo Sistema Jangadeiro.

André Luís da Costa Lopes, o “Andrezinho da Baixada, chegou a uma unidade da Polícia Civil em São Paulo de forma espontânea.

A TV Jangadeiro/SBT apurou que ele estava acompanhado de um advogado e se apresentou em uma Delegacia do Município de Guarujá. Ele tinha mandado de prisão em aberto acusado de envolvimento direto no assassinato de dois líderes da cúpula nacional do PCC, Rogério Geremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca.

Em setembro, Andrezinho da Baixada e os outros oito foragidos tiveram os nomes inseridos na lista de procurados pela Interpol. O crime aconteceu no início do ano na Grande Fortaleza. Gegê do Mangue e Paca foram levados de helicóptero até uma reserva indígena em Aquiraz, onde foram mortos a tiros. O fato provocou à época uma crise na cúpula do PCC, e um dos mentores do crime Wagner Ferreira da Silva acabou sendo fuzilado em São Paulo.

Somente o piloto do helicóptero já havia sido preso. Felipe Ramos Morais havia sido preso em maio, no estado de Goiás. As investigações apontam que o crime teria sido ordenado por outro líder do PCC, Gilberto Aparecido dos Santos, o “Fuminho”, principal liderança do PCC que hoje está fora do sistema prisional.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Professor estupra menino porque estava ‘triste’ com término de relação

Para fugir da prisão, o professor teria dormido alguns dias na rua

Published

on

Um professor de Belo Horizonte (MG) foi preso nesta quinta-feira (6/12) após confessar que estuprou um menino de 9 anos dentro de uma escola municipal da cidade. Segundo a polícia, Washington Laurent de Jesus disse, em depoimento na delegacia, que cometeu o crime porque estava se sentindo “triste após o fim de um relacionamento”.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, o crime teria sido cometido após o fim de uma aula. O autor do estupro afirmou ainda que usou drogas antes de realizar o abuso. A denúncia foi feita no dia 30 de novembro e, desde então, a polícia procurava pelo acusado.

Para fugir da prisão, segundo o jornal O Tempo, o professor teria dormido alguns dias na rua. Depois, foi para a casa de um conhecido e ficou hospedado até esta quinta. A criança foi encaminha para a assistência social para receber apoio psicológico.

Matéria do Metrópoles

Continue Reading

Brasil

Menina de 9 anos mata coleguinha de 10 ‘a mochiladas’ e puxões de cabelo

Duas adolescentes de 14 anos incitaram vítima a se defender em MS, diz polícia

Published

on

Dois golpes com uma mochila cheia de livros. Segundo a polícia, este foi o movimento feito por uma menina de 9 anos, contra a colega Gabriele Ximenes, de 10 anos, minutos após brigarem e uma ofender a mãe da outra. O caso ocorreu há 8 dias e a vítima morreu nessa quinta-feira (6), em Campo Grande. Duas adolescentes de 14 anos teriam incitado vítima a se defender.

“A menina de 9 anos e as adolescentes passaram a tarde na delegacia e foram ouvidas como testemunhas. A mais nova confirma que só ela agrediu com a mochila, sendo que as outras chegaram depois é só perguntavam se a vítima não ia se defender”, afirmou ao G1 a delegada Fernanda Félix, responsável pelas investigações.

No teor do depoimento, consta que as adolescentes informaram que “não encostaram um dedo sequer” na vítima e também não a conheciam anteriormente. “Elas dizem que nada fizeram, enquanto que a menina de 9 anos falou que as duas começaram a xingar a mãe da outra”, explicou Félix.

Durante esta semana, ainda de acordo com a delegada, a menina foi todos os dias na escola, com exceção dessa quinta (6). “A família não havia registrado ocorrência e a informação que temos é que ela não tinha nenhuma lesão aparente. Ela passou por unidades de saúde e hoje é que o médico da Santa Casa optou por fazer uma cirurgia”, comentou.

O procedimento foi realizado no lado direito do quadril da menina, em razão do diagnóstico de uma artrite séptica. “Ela sofreu quatro paradas cardíacas e também foi identificada uma infecção generalizada, hoje pela manhã. Eu acompanhei a necrópsia e a criança sofreu tromboembolismo pulmonar”, disse a delegada.

Nesta semana, a polícia também pretende ouvir funcionários da escola onde a menina estudava e também pedirá informações oficiais para unidades de saúde da cidade.

“Pretendo questionar o diretor se a menina passou mal algumas vezes na escola, em situações anteriores, inclusive chamando o Samu [Serviço de Atendimento Médico de Urgência] e encaminhando, possivelmente, ela para alguma unidade de saúde”, argumentou Félix.

O caso foi registrado como morte a esclarecer, na Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij). A delegada explica que não foi imputado as três envolvidas nenhum ato infracional por conta da idade delas, o que não é penalmente não é possível. Nem aos pais.

O caso

Gabrielly Ximenes, de 10 anos, foi agredida na saída da escola no dia 29 de novembro. A discussão teria começado em sala de aula. A criança chegou a citar o nome desta colega para o pai.

Após alguns minutos, segundo a polícia, a menina teria chamado outras 2 garotas, de 14 anos, que também bateram na criança. O fato aconteceu a cerca de 100 metros do portão da escola estadual onde as meninas estudam.

Gabrielly foi levada para a Santa Casa pelo Samu, ficou em observação por 1 dia, e foi liberada. No dia 4 de novembro, ela disse para a família que sentia muitas dores, foi levada para unidades de saúde, dia 5 voltou para o hospital, passou por cirurgia e morreu.

Matéria do G1

Continue Reading

Brasil

Gato é espancado por homem até a morte enquanto criança filma tudo; Assista

Após um cachorro ter sido morto em um supermercado de Osasco (SP), um novo registro de agressão a animais está causando polêmica na internet

Published

on

O caso aconteceu na Paraíba, na cidade de Itabaiana, agreste do estado. Embora não tenha data, o episódio de violência ganhou repercussão nesta quarta-feira (5) nas redes sociais após post de famosos e ONGs.

No vídeo, filmado por uma criança, um idoso conhecido como “Meu Santo” amarra o gato a um cabo de vassoura pelo pescoço e o joga diversas vezes no chão até a morte. É possível ouvir o barulho do corpo do bicho batendo forte contra o chão.

No fundo do vídeo é possível ouvir a criança que filma e outras pessoas dando risadas, chamando o homem de “matador de gato”.

Segundo Fabíola Rezende, presidente da ONG Anjos de Rua, a delegada responsável pela delegacia da região informou que não pode prender o homem. Ele deve pagar apenas uma multa.

Fabíola garante que acionará o Conselho Tutelar pois além do assassinato do gato, o idoso está induzindo a criança – que filma a cena – a fazer o mesmo no futuro.

Matéria da RedeTV

Continue Reading
Advertisement