conecte-se conosco

Oi, o que você está procurando?

Mceara.com

Policia

Garota tem casa invadida e é morta com tiros na cabeça, em Maranguape

Em 48 horas, mais duas mulheres foram assassinadas a tiros na Grande Fortaleza

MCEARA.COM2020.05.27 09 25 21 001

Subiu para 148 o número de mulheres assassinadas no Ceará. Nas últimas 48 horas, mais dois crimes do gênero foram registrados na Grande Fortaleza. Uma das vítimas era uma garota de 18 anos, morta a tiros, dentro de casa, no Município de Maranguape, na Região Metropolitana da Capital. O segundo caso ocorreu em Fortaleza, no bairro Ancuri, na Grande Messejana.

Era por volta das 22 horas desta terça-feira quando bandidos armados invadiram uma casa na localidade de Papoco, no Distrito de Papara, em Maranguape, e atiraram diversas vezes contra uma jovem. A vítima, inicialmente identificada apenas por Ivina, teve morte imediata. Ela foi atingida por vários tiros na cabeça, o que caracterizou um crime de execução sumária.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram no local do crime juntamente com policiais militares e uma equipe da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) em busca de pistas para identificar os assassinos. Até agora, porém, nenhum suspeito do crime foi localizado. O corpo da garota foi encaminhado à Coordenadoria de Medicina Legal (Comel), em Fortaleza, onde será necropsia do na manhã desta quarta-feira (27).

Misterioso

Outra mulher, ainda não identificada, foi também assassinada a tiros na Grande Fortaleza. O crime ocorreu no fim da tarde da última segunda-feira (25), no bairro Ancuri, em Messejana. De acordo com os primeiros levantamentos de informações feitos pela Polícia Militar, a vítima caminhava pela Rua do Cruzeiro, quando foi surpreendida por dois homens em uma motocicleta e atingida a tiros.

Propaganda. Role para continuar lendo.

A Polícia não sabe ainda se ocorreu ali um crime de latrocínio (roubo ou tentativa de roubo seguida de morte), uma execução sumária ou mesmo um caso de feminicídio. No local, ninguém reconheceu a mulher morta e, portanto, o corpo foi encaminhado à Pefoce sem nenhuma identificação formal.

Via Jornalista Fernando Ribeiro

Propaganda. Role para continuar lendo.
Propaganda