Extra | Uma investigação da 38ª DP (Brás de Pina) identificou sete traficantes da Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio, responsáveis pela invasão às favelas vizinhas Pica-Pau e Cinco Bocas, em outubro de 2017, que culminou com a execução de dois traficantes. Os corpos dos dois homens — identificados somente como Lorran e Gato — foram embrulhados em caixas de presentes e enviados aos rivais.

Foram pedidas à Justiça as prisões de Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, de 32 anos; Rodrigo Ribeiro da Silva, o Jeremias ou Mia, de 34; Rodnei de Menezes Andrade, o Baratão, de 38; Luis Carlos de Andrade, o Farinha, de 32; e Alan Felipe da Silva. Outros dois traficantes identificados como participantes da invasão já estão presos: Daniel Nunes, o Chapoca; e Rafael Felix da Silva Valadares, o Lulinha. Todos eles integram a facção Terceiro Comando Puro (TCP), que domina a Cidade Alta, e foram indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

De acordo com a investigação, quem ordenou que os cadáveres fossem mutilados e enviados em caixas de presentes foi de Peixão, o chefe do tráfico da Cidade Alta. A determinação foi motivada pelo assassinato, dias antes, de um adolescente de 16 anos, identificado como Matheus William, durante uma tentativa de invasão de rivais de comunidades vizinhas, dominadas pelo Comando Vermelho (CV). Os corpos foram deixados na entrada da favela Pica-Pau, embrulhados com laço de fita.

Como revelou o EXTRA, no segundo semestre do ano passado, Peixão instituiu o “IPTU do crime” na Cidade Alta. Numa correspondência endereçada a todos os moradores, ele informava que “a partir do quinto dia útil de agosto, moradores irão pagar de R$ 5 a R$ 10 mensais para ajudar na segurança da comunidade”. Ao fim do texto, uma saudação acompanhava a assinatura: “Atenciosamente, a tropa do mano” — outro apelido do traficante.

No último Dia das Crianças, Peixão mandou distribuir presentes e montou uma gigantesca piscina na comunidade para angariar a simpatia dos moradores.

A disputa entre as facções rivais pelo controle da Cidade Alta já dura mais de um ano. Na última quarta-feira, houve nova tentativa de invasão de traficantes das favelas do Pica-Pau e Cinco Bocas à comunidade. Houve troca de tiros e o 16º BPM (Olaria) foi acionado. Nenhum criminoso foi preso.