DN  | O número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que correspondem a homicídios e latrocínios, no Ceará aumentou 50% no comparativo com 2016. Conforme balanço divulgado nesta sexta-feira (12) pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o Estado teve 5.134 assassinatos no último ano contra 3.407 em 2016.

De acordo com os dados oficiais, houve aumento em todos os territórios do Ceará, porém, a maior variação se deu em Fortaleza. Em 2016, a Capital havia registrado 1.007 crimes, já no ano passado os CVLI atingiram a marca de 1.978. Outro território com grande aumento foi a região Metropolitana, que sofreu variação de 61,3%.

Desde 2013, quando os casos começaram a ser compilados dentro desta classificação, é a primeira vez que o Estado supera os 5 mil assassinatos, representando um recorde histórico. Naquele ano aconteceram 4.395. Em 2014 foram registrados 4.439 CVLI, diminuindo para 4.019 em 2015 e chegando a 3.047 em 2016, mas voltando a crescer em 2017.

No ano passado, a média foi de 14 crimes por dia e quase 428 por mês. Além disso, as mortes decorrentes de intervenção policial não são consideradas como intencionais, pois possuem excludente de ilicitude, assim como aquelas registradas dentro das unidades prisionais.